Em apenas quatro dias, o sistema de queimadas e incêndios do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), registrou 598 focos de queimadas, em 57 municípios do Pará. Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), divulgou nesta segunda-feira (01), o boletim com as informações referentes ao período de 28 a 31 de julho.

As regiões sudeste e sudoeste do Pará são as que apresentam mais ocorrências, classificadas com risco de alto a crítico para incêndio florestal. Áreas isoladas das regiões do baixo amazonas e nordeste paraense apresentaram classificação de risco de fogo de baixo a crítico.

Parauapebas só não aparece nas quatros primeiras posições entre os municípios que mais foram identificados com focos de queimada pelo numero reduzido da equipe de combate e pela falta de registro.

O município parauapebense está literalmente “pegando fogo” com em media cinco grandes queimadas diariamente.

Crime
Provocar queimadas em florestas é considerado um crime ambiental, de acordo com o artigo 50 do Decreto Federal 6.514/2008. É infração destruir ou danificar florestas ou qualquer tipo de  vegetação nativa ou de espécies plantadas sem autorização ou licença da autoridade ambiental competente, resultando em multas a partir de R$ 5.000,00 por hectare.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here