A advogada paraense Lucinete Duarte relatou nas redes sociais o drama que vem passando com a mãe de 52 anos, Ana Lúcia, portadora de leucemia. Há um ano em tratamento, a paciente está com os procedimentos parados porque os planos de saúde que a atendem não liberaram a realização de um transplante de medula óssea, mesmo com emissão de ordem judicial. Elas publicaram um vídeo no último sábado (30), que já teve mais de 70 mil visualizações.

De acordo com o apelo, a única chance de cura de Ana Lúcia é fazer a cirurgia. “A minha mãe fez todos os procedimentos que deveria, mas devido a um problema de alteração genética a situação só pode ser resolvida com transplante”, relata.

Segundo a advogada, desde o início de 2016, a família pede que os convênios da Unimed e do Iasep, onde a mãe é credenciada, cubram o procedimento em um hospital paulista, já que esse tipo de transplante não é realizado no Pará. “Conseguimos o mais difícil, que é um doador. Minha mãe conseguiu um doador 100% compatível. E as chances de se encontrar um doador é uma pra 100 mil. A gente precisa que o plano libere o transplante no hospital que ela vem fazendo o tratamento em São Paulo”, comenta.

Devido à demora na resolução, a família ingressou com uma medida na Justiça do Pará. “Medida que foi deferida desde o dia 11 de julho, mas que ainda não foi cumprida. E nenhum dos planos se manifestou”, revela Lucinete.

Até o momento a segurada não foi notificada sobre alguma decisão dos convênios hospitalares. “O que eles querem é que ela troque de centro transplantador, mas não temos mais tempo para isso. Uma troca agora não respeita as condições exigidas pelo procedimento”, afirma a filha.

Planos
Nesta segunda-feira (1º), o Governo do Estado do Pará se manifestou sobre a situação informando que representantes do Instituto de Assistência dos Servidores do Estado do Pará (Iasep) e da Unimed se reuniram para buscar providências para o caso da paciente Ana Lúcia Duarte.

Ainda segundo a nota, ficou definido durante a reunião que os planos irão custear o procedimento que será realizado em hospital referenciado pela Unimed, em São Paulo. O instituto garantiu que os dois planos continuam custeando parte do tratamento atual em São Paulo. O G1 entrou em contato com a Unimed e aguarda um posicionamento.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here