Projeto Tutoria: Jovens com bom desempenho escolar terão oportunidade remunerada em Parauapebas

0
307

Um projeto idealizado pelo Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), Ministério Público do Trabalho (MPT-PA), Vale, Secretaria de Educação do Estado (Seduc) e Prefeitura de Parauapebas vai oferecer uma oportunidade remunerada aos jovens de Parauapebas com idade a partir de 14 anos, que estejam cursando regularmente o 1º ou 2º ano do ensino médio e que tenham um bom desempenho escolar. Estes jovens poderão ser contratados para prestar tutoria a estudantes do ensino fundamental da rede municipal que cursem a 7ª, 8ª ou 9ª série e que apresentem dificuldade com as disciplinas de Português e Matemática.

O projeto denominado “Tutoria” visa melhorar o rendimento e o aprendizado dos alunos que participarem do mesmo, estimulando ainda o protagonismo juvenil desses jovens. A iniciativa é resultado de um Termo de Cooperação Técnica assinado nesta terça-feira (22) em Parauapebas.

O procurador-geral de Justiça do MPPA, Marcos Neves, destacou que “o Ministério Público do Estado atua como agente transformador da realidade social ao participar ativamente da mudança da realidade social seja dentro da escola ou em qualquer outra área da sociedade civil. Também é gratificante saber que empresas, como a Vale em especial, colaboram com a gente abraçando projetos dessa magnitude”.

A Vale, empresa parceira do projeto, foi representada pelo diretor de operações ferrosos Norte, Paulo Horta, que informou que a participação de empresa no desenvolvimento sócio econômico dos municípios onde ela está presente é um fato. “Isso está na nossa visão, na nossa responsabilidade como empresa. É uma satisfação muito grande participar, junto com o Ministério Público do Estado, desse novo convênio que visa principalmente dar chance aos jovens de se desenvolverem. É um projeto que começa pequeno mas tem uma capacidade muito grande de se multiplicar. Eu tenho certeza que será um enorme sucesso aqui em nossa região”, reforçou o diretor.

O projeto conta ainda com a parceria da Secretaria de Educação do Estado (Seduc). A secretária de Estado de Educação, Ana Claudia Hage, não pôde comparecer à cerimônia de assinatura em Parauapebas e formalizou a parceria em seu gabinete, em Belém. “Esta é uma ferramenta pedagógica integrada entre o Ministério Público, Ministério do Trabalho, o Governo do Estado – através da Seduc – Prefeitura Municipal de Parauapebas e iniciativa privada para formar um aluno cidadão e que seja multiplicador desta mensagem de cidadania. Desta forma o aluno conhecerá de que forma o Ministério Público atua para levar melhorias à Escola e comunidade escolar assim como para toda a sociedade”, disse.

O procurador-chefe do Ministério Público do Trabalho do Pará, Hideraldo Machado, também formalizou a parceria em seu gabinete na capital e reforçou: “considero revolucionária a iniciativa, me orgulha muito comandar o MPT e, como gestor, subscrever esse termo de cooperação técnica que tem o poder de transformar pela educação tutores e tutelados. É uma via de mão dupla, você aprende ensinado e ao ser ensinado”, procurador-chefe do MPT PA/AP.

O convênio tem ainda a parceria do município de Paraupebas por meio da Secretaria Municipal de Educação. Para a secretária Leila Lobato “é um ganho muito significativo para a comunidade educacional. O Ministério Público do Estado está de Parabéns pela iniciativa. A Vale, que atua nesse projeto na questão financeira, também tem um papel fundamental enquanto empresa. Já a secretaria de educação poderá oferecer aos alunos um projeto que visa reforçar a aprendizagem. Então, acredito que é um ganho para a comunidade educacional e para a população”, disse.

Sobre o projeto

Por meio do projeto Tutoria, os alunos do ensino médio serão selecionados e capacitados para tornarem-se tutores, ou seja, desenvolverão atividades de reforço escolar em seu contraturno de estudo para os educandos do Ensino Fundamental (6º ao 9º ano.

O projeto é coordenado pelo Centro de Apoio Operacional da Infância e Juventude do MPPA, por meio da promotora Mônica Freire, que explicou que “o projeto Tutoria contribuirá para a formação intelectual dos jovens envolvidos, de modo a aproveitar o conhecimento desse jovem e oportunizar um reforço escolar individualizado a estudantes com dificuldade no aprendizado nas disciplinas de Português e Matemática”.

A tutoria não será imposta aos alunos, pelo contrário, será facultado aos discentes com o melhor desempenho nas disciplinas de Português e Matemática a atribuição de tutor. Ao aceitar, o aluno-tutor será contratado como aprendiz da Vale, empresa apoiadora do projeto, recebendo não só uma remuneração mas os demais direitos referentes a aprendizagem.

Os alunos-tutores também receberão capacitação de profissionais do Ministério Público do Estado sobre temáticas variadas como cidadania, direitos e garantias fundamentais, importância do controle social e importância do conselho escolar a fim de estimular os mesmos a participarem de reuniões e atividades do conselho escolar da escola onde estudam.

As secretarias de Educação do Estado e Município destacarão os professores que irão fazer o acompanhamento desses estudantes e também informando quais os alunos com as melhores médias.

Ao final da tutoria, tanto os tutores quanto os alunos que participaram do reforço escolar terão seu desempenho avaliados para observar a evolução do mesmo durante a participação no projeto.
Também estiveram presentes na cerimônia de assinatura do projeto os promotores Crystina Michiko (Canaã), Jeanne Oliveira (Parauapebas) e Hélio Rubens Pereira (Parauapebas); a procuradora do Ministério Público do Trabalho, Laura Fernandes; o chefe de gabinete da prefeitura, Wanterlor Bandeira; e a gerente de educação da Vale, Magda Damasceno.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.