Mais cara: Postos de combustíveis de Parauapebas reajustam o valor da gasolina

0
718

O aumento do imposto do combustível poderá gerar um aumento de até 4% no preço do frete, segundo estimativa da Agência Nacional de Transporte de Cargas (ANTC), entidade que atua no ramo de consultoria em agenciamento de cargas. Na ponta, segundo análise da entidade, o reajuste poderá encarecer principalmente produtos com menor valor agregado, como arroz, farinha e outros produtos da cesta básica. Além disso, os produtos ficarão mais caros no Norte e Nordeste, regiões mais distantes dos polos produtores no Sul e Sudeste.

O transporte terrestre predomina no Brasil, 60% das mercadorias são transportadas por caminhões no país. Nas cidades, essa porcentagem aumenta para 95%, segundo a ANTC. De acordo com a entidade, o combustível representa 40% do custo de um frete e o aumento geralmente é repassado para o preço do transporte. O transportador não tem como não repassar esses 4%. Está sem margem nenhuma. O frete cai desde 2014. Mesmo na época boa, a margem [de lucro] era de 5%, fica difícil segurar.

Além do mercado interno, o aumento poderá ter impacto também no mercado externo. Os caminhões que transportam carga para a exportação são maiores e o combustível ultrapassa a média de 40% no custo do frete. Nas cidades, a porcentagem cai, e o combustível de pequenos caminhões chega a representar 10% do custo.

Todo este sacrifício foi provocado pelas dificuldades em recuperar a arrecadação, o que fez com que o governo decidisse aumentar tributos para arrecadar R$ 10,4 bilhões e cumprir a meta fiscal de déficit primário de R$ 139 bilhões. O Programa de Integração Social (PIS) e a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) sobre a gasolina, o diesel e o etanol subiu para compensar as dificuldades fiscais.

Com isso a alíquota passou de R$ 0,3816 para R$ 0,7925 para o litro da gasolina e de R$ 0,2480 para R$ 0,4615 para o diesel nas refinarias. Para o litro do etanol, a alíquota passou de R$ 0,12 para R$ 0,1309 para o produtor. Para o distribuidor, a alíquota, atualmente zerada, aumentará para R$ 0,1964. A medida entrará em vigor imediatamente por meio de decreto publicado no Diário Oficial da União.

Em Parauapebas – O Pará tem gasolina mais cara do país e de seus municípios Parauapebas lidera nos preços altos sendo encontrado o litro da gasolina a R$ 4,72 o litro.

O reajuste foi anunciado ainda no fim de semana, após decreto do governo federal, porém até ontem, terça-feira, 25, era possível encontrar postos vendendo a preços não reajustados; o que foi justificado por gerentes dos postos ao fato de ter estoque, mas alguns admitiram que o preço, mesmo sem reajustar, já era compensador nas vendas.

Mas, não deu mais para segurar e agora não é mais possível encontrar nem pelos preços que já eram considerados altos, passando de R$ 4,139 para R$ 4,549; R$ 4,10 para; R$ 4,149 para R$ 4,519; ou de R$ 4,139 para 4,529. Essas são algumas sugestões de reajustes ocorridos na gasolina nos postos de Parauapebas, restando agora ao consumidor pesquisar para encontrar as menos cara.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.