Após acordo sobre horas in itinere dos trabalhadores de Carajás, Centro Cultural de Parauapebas pode ser entregue em julho

937

A construção do Centro Cultural de Parauapebas é fruto de acordo de um termo de conciliação entre a Vale e o Ministério Público do Trabalho referentes às horas in itinere dos trabalhadores de Carajás. Pelos primeiros cinco anos, o local será gerenciando pela mineradora e, em seguida, será repassado para a prefeitura.

Mais do que uma característica de uma sociedade, a cultura pode ser considerada como o elemento primordial que difere uma nação da outra. Os costumes, a música, a arte e, principalmente, o modo de pensar e agir fazem parte da cultura de um povo e devem ser preservados.

Em Parauapebas, a construção de um centro cultural com estrutura para abrigar os mais diversos segmentos do ramo vai permitir que a identidade e o sentimento de pertencimento de uma cidade que abriga pessoas de muitos lugares sejam preservados.

Na manhã desta sexta-feira, 27, o prefeito Darci Lermen, o secretário de Cultura, Popó Costa, representantes da mineradora Vale, do Conselho de Cultura e de diversos segmentos culturais visitaram as obras do novo espaço cultural do município.

Com ampla estrutura, o centro dispõe de sala de música, sala de dança, audiovisual, projeção, local para exposição, vestiários, biblioteca com duas mil publicações e um teatro com capacidade para 300 pessoas.

Após apresentação do projeto, o engenheiro responsável pela obra, Marcos Tuler, informou que a data de entrega das obras do centro está dentro do previsto pela empresa. “A obra está em pleno andamento. Estamos cumprindo o nosso planejamento de dezembro de 2017, mas a nossa meta é entregar para o município até julho”, adiantou o engenheiro.

Com informações da ASCOM

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui