Diante da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), muitos municípios, do território brasileiro, estão adotando medidas de combate e enfrentamento para conter a proliferação da doença. No último domingo (17) mais da metade dos prefeitos do Consórcio de Municípios Alagados pelo Rio Tocantins (COMPART) e representantes do Ministério Público Estadual, se reuniram para alinhar uma nova estratégia de enfrentamento ao Covid-19 na região.

Após o fim do diálogo entre os participantes, ficou decidido que os municípios de Tucuruí, Novo Repartimento, Goianésia do Pará, Breu Branco e Jacundá adotariam o lockdown (bloqueio total) como medida mais rígida em relação à pandemia. Um documento assinado pelos prefeitos, chegou a ser encaminhado ao Governador do Estado do Pará, Helder Baralho, solicitando que fosse estendido à Região do Lago, o Decreto Estadual N 729, de 2020, que versa sobre a medida.

No entanto, a política e a economia falaram mais alto, perante a vida de centenas de pessoas . Somente o prefeito de Tucuruí, Artur Brito, manteve o discurso que fora acertado. José Ribamar ( Goianésia do Pará); Deusivaldo Pimentel (Novo Repartimento); Ismael Barbosa (Jacundá); e Francisco Garcês (Breu Branco), andaram para trás.

O não cumprimento do acordo chega a ser cruel com os mais de 500 mil habitantes que moram em toda a região do lago e que clamam por gestões mais eficazes, principalmente, no que tange a situação atual da saúde em todo o estado do Pará.

Chega a ser curioso, o fato de apenas o prefeito de Tucuruí, Artur Brito, manter o seu discurso em relação a implantação do lockdown, haja vista que, é neste município que está localizado o único Hospital de referência no atendimento à pacientes com Coronavírus de alta complexidade, responsável por atender toda a Região do Lago.

O objetivo, durante a reunião, que ocorreu por videoconferência, era justamente adotar a medida para desafogar a grande demanda do Hospital, em virtude da insuficiência do estado perante os municípios. Logo, a preocupação deveria ser de todos.

Breu Branco fechou nesta segunda-feira (18), o seu boletim epidemiológico, com 11 casos positivos de Coronavírus e 04 óbitos. Goianésia do Pará, por sua vez, contabilizou 20 casos confirmados e 01 óbito. Já Novo Repartimento, que não possui nenhum leito de UTI para seus pacientes, encerrou o dia com 12 casos e 03 óbitos. A partir de quantos números a mais, de pessoas infectadas ou mortas pela Covid-19, farão com que tais gestores acordem ? Fica o questionamento.