Prefeito de Tracuateua é afastado do cargo

685

Prefeito de Tracuateua, Tamariz Cavalcante, é afastado do cargo e seu vice Zezinho Costa assume o Executivo. Juntamente com o prefeito também foram afastadas de suas funções seis pessoas que ocupavam cargo de confiança no governo municipal, todos respondendo a ação civil de improbidade administrativa, por danos ao erário, enriquecimento ilícito e violação dos princípios administrativos. O processo que corre em segredo de Justiça será julgado pela 1ª Vara Cível e Empresarial de Bragança.

A notícia chegou a Tracuateua no final da tarde de terça-feira (19), quando o vice-prefeito José Bráulio da Costa, conhecido como Zezinho Costa, foi comunicado que haveria reunião na Câmara Municipal, para tratar sobre o afastamento do prefeito e a posse do vice.

Na manhã de hoje (20), 9 dos 11 vereadores do município reuniram, conforme o previsto e, baseados no documento entregue pelo oficial de Justiça, que chegou às 11h à Casa de Leis, foi oficializado o afastamento de Tamariz Cavalcante e Melo Filho, juntamente com e de Cilene do Socorro Andrade Lima, secretária municipal de Educação; Paulo Vitor Marinho de Aguiar, assessor do prefeito; Benedito Harrilson da Silva Oliveira, responsável pelo controle interno; Manoel Padilha do Vale, pregoeiro; Edgar de Oliveira Silva, presidente da Comissão de Licitação e Prince Allen Paixão de Sousa, tesoureiro.

Após tomar conhecimento da decisão judicial, às 11h30, Zezinho Costa assinou os documentos indicados pelo oficial de Justiça e foi empossado. Em seguida, Zezinho se dirigiu ao prédio da prefeitura para ver a real situação do município, pois, o novo prefeito revelou que desconhecia as irregularidades apontadas pela Justiça. “Nunca teve acesso às contas da prefeitura, às coisas que o município tem. Nunca pude indicar um secretário para exercer a função. Eu era uma pessoa isolada do governo”, concluiu Zezinho Costa.

Tamariz Cavalcante foi procurado pela reportagem, mas não foi encontrado, nem foi visto em Tracuateua desde terça-feira.

(José Clemente Schwartz/Diário do Pará)

Comentários