Uma alternativa de tratamento para o novo coronavírus, que já está em nível avançado, alcançou a etapa de coleta de plasma de pacientes recuperados da Covid-19. Realizadas no Hemopa, em Belém, as coletas são feitas por meio de aférese, um procedimento moderno que filtra apenas o plasma do sangue do doador recuperado da doença para ser utilizado no organismo do paciente ainda doente.

É no plasma que ficam armazenados os anticorpos que podem ajudar na recuperação de doentes acometidos pela Covid-19.

As equipes de saúde do Hemocentro fazem a coleta de um pouco mais de 550ml de plasma. Depois disso, a bolsa de plasma passa por exames específicos, com a titulação de anticorpos IgG e PCR-RT, pós Covid-19, que vão habilitar a utilização ou não do material para transfusão. A técnica já vem ganhando destaque nos principais serviços de saúde do país e do exterior. O procedimento é uma terapia experimental. A transfusão deve ser direcionada aos pacientes internados, em estado grave da doença, na rede hospitalar do Pará.

“Nossa equipe, por meio da Diretoria Técnica e do Núcleo de Ensino Pesquisa da Fundação, trabalhou de forma incessante na elaboração dos protocolos para a utilização da pesquisa na técnica do uso do plasma, que obteve aprovação da Comissão Nacional de Ética e Pesquisa (CONEP). É mais um tratamento experimental no combate à Covid-19, para ajudar a reduzir os índices negativos”, destacou o presidente da Fundação, Paulo Bezerra.

Arthur do Rosário Braga, delegado da Polícia Civil do Pará, de 36 anos, contraiu o novo coronavírus, atuando na linha de frente nas ruas da capital. Ele se habilitou a participar do processo de doação de plasma. “Eu me sinto na obrigação e no dever de participar deste processo. Tenho certeza que com essa atitude trarei um ganho à sociedade com a apropriação de todas as informações que podem surgir, a partir de um estudo mais específico contra a Covid-19”, ressaltou o delegado.

A equipe multiprofissional de pesquisadores do projeto ‘Utilização de plasma de doadores convalescentes como estratégia terapêutica da Covid-19 no estado do Pará’, optou pela coleta de plasma de voluntários do sexo masculino convalescente do Coronavírus.

Mulheres em condições de gestação podem vir a produzir anticorpos anti-HLA (anticorpos direcionados à antígenos leucocitários humanos), o que pode provocar algumas complicações nos receptores, entre elas, a Lesão Pulmonar Aguda Relacionada (TRALI), que pode ser letal. Para evitar situação de eventual desconhecimento de gravidez, durante processo de triagem, pessoas do sexo feminino não farão parte da pesquisa, tendo em vista o caráter emergencial do tratamento de pacientes com a Covid-19, em estado grave.

Convocação – A Fundação Hemopa convoca cidadãos que tiveram o teste positivo para o novo coronavírus a participarem do processo de triagem para se tornarem doadores de plasma.

Os voluntários devem obedecer aos critérios básicos: Homens com idade entre 18 e 60 anos, pesar mais de 55kg, ter tido exame positivo para SARS-CoV-2 por teste de PCR-RT ou teste sorológico e, ter tido a forma leve ou moderada da doença. A candidatura fica liberada após 30 dias sem nenhuma sintomatologia decorrente da doença. Para mais informações o voluntário pode ligar para (91) 98404-9612.