Onze malharias e ateliês localizados em comunidades de Parauapebas, Marabá, Canaã dos Carajás e Ourilândia do Norte produziram máscaras artesanais de tecido que serão distribuídas para empregados próprios e terceirizados que atuam nas unidades operacionais da Vale e, também, para os seus familiares.

A compra destes materiais e de outros insumos no comércio local tem movimentado a economia e valorizado microempreendedores e fornecedores sociais nas comunidades onde a empresa atua. No total, 102 costureiras foram envolvidas na produção das máscaras.

Os ateliês foram implantados a partir de projetos sociais para a geração de renda

incentivados pela Vale no sudeste do Pará.

Costureiras da comunidade de Vila Bom Jesus produzem máscaras caseiras