Ato cultural encerra a campanha em combate a violência sexual contra crianças

0
311

Em 18 de maio é celebrado o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A data remete ao dia 18 de maio de 1973, quando Araceli Crespo, de 8 anos de idade, foi raptada, estuprada e morta por jovens da alta classe da cidade de Vitória, no Espírito Santo. Os agressores nunca foram punidos.

Em Parauapebas, a Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) promoveu uma campanha de enfrentamento, desde o dia 9 deste mês, para lembrar a data. Foram realizadas diversas atividades de conscientização e prevenção de combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes. Parauapebas registra de quatro a cinco casos por semana, segundo a delegada Ana Carolina Abreu, da Divisão Especializada no Atendimento à Mulher (Deam).

Com dança, poesia e música, a campanha foi encerrada nesta quinta-feira, 18, na Praça de Eventos, com a presença do vice-prefeito Sérgio Balduíno e do titular da Semas, Jorge Guerreiro, e reuniu usuários e familiares de toda a rede de assistência social, como os Cras, Creas, Abrigo Esperança, Aconchego do Idoso, Caps, Conselho Tutelar, Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (Comdcap), representantes da Vale e autoridades municipais.

“Conte para alguém, não tenho medo, não guarde segredo”, foi o tema trabalhado nas atividades com a finalidade de avançar o processo de conscientização da população sobre a gravidade da violência sexual e destacar a importância de prevenir e denunciar.

Segundo a coordenadora do Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas), Danielle Leite, cerca de 140 crianças e adolescentes são acompanhadas pelo governo municipal, com atendimentos individuais das vítimas e familiares, visitas domiciliares e trabalhos em grupo.

“A maioria dos casos chega do Conselho Tutelar, Disque Denúncia, Ministério Público, demandas espontâneas e temos o serviço de abordagem, que vai até alguns locais, identifica situações e traz para o Creas”, explicou a coordenadora.

Segundo a conselheira tutelar Gardenha Garcia, o Disque Denúncia e o Disque 100 são os principais canais usados pela população. Contudo, muita gente ainda tem medo de denunciar e fica na omissão, o que leva as autoridades a acreditarem que os casos registrados estão bem aquém da realidade. “É preciso criar estratégias no trabalho de prevenção, e é isso que estamos fazendo – conselhos, delegacia e governo municipal – para combater esses abusos”, disse Gardenha.

As ligações para o Disque 100 são gratuitas e o anonimato é garantido. O atendimento é 24 horas e ocorre inclusive aos domingos e feriados. “Nossa responsabilidade é muito grande, cuidar dessas crianças e adolescentes. Não depende só do governo, mas de toda a sociedade prevenir. É preciso abraçar essa causa, dar o melhor para nossas crianças. Temos que pensar no futuro e cuidar delas hoje”, defendeu o secretário de Assistência Social, Jorge Guerreiro.

Texto: Liliane Diniz

Fotos: José Piedade 

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.