Em Parauapebas, Defesa Civil visita famílias do Riacho Doce

0
399

Com a chegada das chuvas, a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec) se organiza para melhor atender as famílias que, por ventura, necessitem dos serviços. Durante a manhã desta quinta-feira, 9, uma equipe esteve na ocupação Riacho Doce, local passível de alagamento e que fica dentro de Área de Preservação Permanente (APP).

O autônomo Geraldo César André mora há três anos no local e diz que eles ainda não passaram por situação de risco, mas se sente confortável com a atenção dada pela Defesa Civil. “É um trabalho muito importante. Nos sentimos seguros, pois é quem vai nos socorrer em um momento de dificuldade”, reconhece.

Segundo o coordenador de vistoria em áreas de risco, Divino Ferreira Santos, o cadastramento feito no local será alinhado com as secretarias de Habitação (Sehab) e Assistência Social (Semas).

Atualmente, em virtude do período chuvoso, o rio Parauapebas apresenta uma média de 6,12 metros, quando na maior parte do ano o nível é de cinco metros. O monitoramento do volume de águas é feito constantemente pela equipe da Defesa Civil, que realiza a conferência da régua logo pela manhã e no final da tarde.

De acordo com o coordenador do órgão, Valvir Nogueira Fernandes, a Defesa Civil passa por melhorias, mas já conta com diversos materiais para dar apoio às famílias. “Estamos reestruturando o órgão, buscando parcerias e capacitação junto ao Estado, com a intenção de preparar melhor o nosso pessoal no momento de acolhimento das pessoas que precisarem”, explicou.

O processo de aquisição de cestas básicas, locação de galpão – para abrigar as famílias – obtenção de cobertores e colchões está sendo finalizado. Embora os processos estejam em tramitação, a Defesa Civil já conta com dois barcos, uma caminhonete e um caminhão para dar suporte nos salvamentos. Os servidores do órgão se revezam em escalas 24 horas por dia e atendem por meio do telefone 3356-2597.

Texto e fotos: Sara Nascimento

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.