Connect with us

Notícias

Serra Pelada foi beneficiada com a Ação Social do Exército

Consulta médica, atendimento odontológico, entrega de medicamentos e de kits de higiene bucal, palestras, atualização e cadastro de programas sociais e de outros benefícios foram ofertados para a comunidade.

O primeiro sábado de setembro foi dia de cuidar da saúde, de colocar as pendências sociais em dias e de brincar com a criançada, graças aos diversos serviços ofertados para a comunidade de Serra Pelada durante a Ação Cívico Social (ACISO) promovida pelo Exército, em parceria com a Prefeitura de Curionópolis e a Vale.

Consulta médica, atendimento odontológico, entrega de medicamentos e de kits de higiene bucal, palestras, atualização e cadastro de programas sociais e de outros benefícios foram ofertados para a comunidade.

As crianças receberam uma atenção especial na programação do ACISO, a diversão foi garantida com brincadeiras, oficinas de desenho livre e a entrega de pipoca, balas, algodão doce e lanches. O contato com os integrantes do Exército Brasileiro fez brilhar os olhos de muitos pequenos.

“O objetivo do Exército com a Ação Cívico Social é beneficiar comunidades carentes com serviços de saúde e também gerar essa aproximação da comunidade”, explicou o capitão Thales Rabelo Metre, responsável pela ação, acrescentando também que a Prefeitura abraçou a ideia do evento desde o início e deu todo o apoio necessário, inclusive com a disponibilização de equipes de trabalho.

A dona de casa Islane Conceição de Souza disse que aproveitou bastante, “eu fiz minha consulta com a ginecologista, passei meus filhos com o dentista, eles ganharam escova de dente nova e brincaram muito”.

“A gente sempre apoia esses eventos do Exército porque reforçam o trabalho que já realizamos aqui, junto à comunidade, é uma ação que agrega”, destacou a secretária municipal de Saúde, Kelma Oliveira, informando que além do apoio com profissionais de saúde, a secretaria também disponibilizou para a população durante o evento exames de glicemia.

Já a secretária de Assistência Social informou que há um cronograma de ações sociais itinerantes que serão realizadas em toda a zona rural do município, “aproveitamos a vinda do Exército para agregar aos serviços que já estávamos programados para ofertar a população, na ação itinerante”, compartilhou Cristina Salazar.     

Serviços sociais ofertados durante o evento: cadastro para o ID Jovem; emissão de Cartão do Idoso; BPC Escola; cadastro e atualização do Bolsa Família; ações do Programa Criança Feliz; atualização do CadÚnico; assessoria jurídica; serviços do programa de Proteção e Atendimento Integral às Famílias (PAIF); ações de fortalecimento de vínculos desenvolvidas pela equipe do CRAS; benefícios eventuais e assistenciais.  

O presidente da Câmara, Francisco Aderbal, prestigiou o evento e destacou a importância de ações sociais para a comunidade, “nós temos muitos déficits, foram anos de abandono em Serra Pelada, só agora somos vistos, portanto, todas as ações que agregam benefícios para a comunidade são importantes, por isso a Câmara e a Prefeitura apoiam”.

Continue Reading

Notícias

Edital de convocação: Fundação/ Constituição da Associação Ella’s

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLEIA GERAL DE FUNDAÇÃO/CONSTITUIÇÃO DA ASSOCIAÇÃO ELLA’s

A COMISSÃO PRO-ASSOCIAÇÃO ELLA’s, com bases no incisos XVI, XVII E XVIII do artigo 5o da constituição da República Federativa do Brasil convoca todas as cidadãs interessadas para participar da Assembleia Geral de Fundação/Constituição da ASSOCIAÇÃO ELLA’s, a ser realizada no dia 27/09/2021 às 19:00 horas, na Rua Marupa, Quadra 2, lotes 22 e 23, Residencial Martine, Município de Parauapebas/PA a fim de deliberarem e exercerem o sufrágio, em conformidade com a seguinte

Pauta/Ordem do dia:

1o Deliberação sobre a fundação/constituição da ASSOCIAÇÃO ELLA’s, sob forma de Associação Civil sem fins lucrativos;

2o Apreciação e aprovação do Estatuto Social da Entidade; 3o Decidir quem deverá assinar o Estatuto;

4o Decidir que todas as fundadoras ficam investidos na qualidade de associadas, para que a Associação possa dar início à consecução de seus objetivos sociais.

5o Eleição e posse da Diretoria Executiva e do Conselho Fiscal 6o Outros assuntos que surgirem
Publique-se em locais públicos, dê ciência e cumpra-se.

Parauapebas/PA, 13 de setembro de 2021

Continue Reading

Notícias

Dupla é presa pela Guarda Municipal com drogas em Parauapebas

Maicon dos Santos e Regivaldo Silva Damasceno foram apresentados na 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil. Contra a dupla pesa o ato de consumo de entorpecentes.

Consta na ocorrência policial que, uma guarnição da Romo da Guarda Municipal de Parauapebas estava em patrulhamento preventivo nas proximidades do Mercado Municipal do Bairro Rio Verde, momento que foi visualizado dois indivíduos em atitude suspeita.

Ao perceber a presença dos agentes o nacional Regivaldo Silva dispensou um material que estava segurando e empreendeu fuga, entretanto, não foi muito longe e acabou sendo detido.

Durante abordagem o mesmo afirmou que teria dispensado um frasco contendo dez pedrinhas de uma substância semelhante a crack, durante a revista pessoal foi localizado mais duas pedrinhas de crack, totalizando doze unidades, pesando cerca 2.2 gramas.

O segundo abordado, identificado como Maicon Silva não mediu esforços e se entregou.

Diante do fato ambos foram conduzidos para a Depol, aonde foram ouvidos e liberados após assinarem um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO).

(Notícias de Parauapebas)

Continue Reading

Brasil

Governo deve prever salário mínimo em torno de R$ 1.170

O governo deve estimar que o salário mínimo subirá para aproximadamente R$ 1.170 no próximo ano. O valor, porém, tende a ser revisado para cima até o fim do ano, pois a equipe econômica usou parâmetros de inflação defasados para prever a correção do piso salarial, que hoje é de R$ 1.100 por mês.

O cálculo do reajuste considera que a inflação (medida pelo INPC) será de 6,2% neste ano. No entanto, as projeções do mercado já apontam para uma inflação acima de 7%.

A nova estimativa para o salário mínimo deve estar na proposta de Orçamento de 2022, a ser enviada ao Congresso até o dia 31 de agosto.

O projeto orçamentário, portanto, estará distante de um cenário realista. O texto trará parâmetros macroeconômicos defasados e não incluirá medidas tratadas como prioritárias pelo governo, mas que ainda estão em negociação, como a ampliação do Bolsa Família.

O governo enviará a proposta ao Legislativo para respeitar o prazo previsto em lei, mas já conta que mudanças terão que ser feitas no texto durante a tramitação, até o fim do ano.

Para a elaboração das contas de 2022, a equipe econômica optou por manter a grade de parâmetros econômicos divulgada em julho. No entanto, diante das oscilações do mercado nas últimas semanas, as previsões para os indicadores tiveram mudanças significativas.

No caso do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), que baliza o reajuste do salário mínimo -também é usado em acordos e negociações coletivas de trabalho-, a previsão do Ministério da Economia apresentada em julho considera uma alta de 6,2% no ano, enquanto o mercado e também integrantes do governo esperam um crescimento mais forte.

Há duas semanas, o secretário do Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal, apresentou um cenário de inflação mais forte e disse que as estimativas do mercado já apontam para um patamar de 7,2% para o INPC no ano.

“O governo vai enviar uma peça [orçamentária] que não tem credibilidade”, disse Juliana Damasceno, economista e pesquisadora de finanças públicas do Instituto.

Apesar do aperto no Orçamento, ela defende a regra que impõe a correção do salário mínimo (e das despesas relacionadas ao piso salarial) pelo INPC. “Está havendo uma corrosão do poder de compra das pessoas, dificuldades no setor informal. Então, faz todo sentido a indexação [desses gastos] e que o governo reveja outros tipos de despesas”.

A Constituição determina que o salário mínimo deve garantir a manutenção do poder de compra do trabalhador. Por isso, o valor tem que ser corrigido pela inflação.

Para 2021, o governo anunciou o aumento para R$ 1.100, considerando uma projeção do comportamento dos preços no fim do ano passado. Só que a inflação, medida pelo INPC (e divulgado pelo IBGE), foi mais acelerada.

Por isso, para o próximo ano, o governo deveria conceder um aumento adicional de aproximadamente R$ 2 no piso salarial. Portanto, o reajuste de 2022 parte de um salário mínimo de cerca de R$ 1.102 por mês.

Com o aperto para elaborar um projeto de Orçamento de 2022 dentro das leis fiscais, a equipe econômica ainda avalia se, na proposta a ser encaminhada na próxima semana, já irá ou não contabilizar esse reajuste retroativo de R$ 2.

O martelo já foi batido em relação ao aumento de 6,2% -da projeção de inflação divulgada em julho.

Por causa desses pontos ainda em discussão, a estimativa do salário mínimo deverá ser alterada até o fim do ano.

Por enquanto, na proposta de Orçamento, o valor deve variar entre R$ 1.169 e R$ 1.171 por mês. Essa margem é justamente os R$ 2 de aumento retroativo do ano passado.https://bae5ec7f4147f3e21dc78b8e1a35ec6b.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Contudo, técnicos do governo dizem que o cenário mais provável é que a projeção para o piso nacional seja de R$ 1.169, deixando o aumento retroativo para ser acertado no fim do ano.

Isso deve causar uma pressão ainda maior no Orçamento de 2022. Em abril, quando o governo apresentou da LDO (lei que dá as bases para que o Orçamento seja elaborado), a projeção era que o salário mínimo iria para R$ 1.147, mas o valor precisará ser corrigido por causa da aceleração da inflação.

Segundo dados do governo, a cada aumento de 0,1 ponto percentual no INPC, há uma expansão de R$ 771,9 milhões nas despesas públicas. O salário mínimo também é o piso pago em benefícios previdenciários, como aposentadorias e pensões.

A proposta orçamentária para 2022 deve ser enviada ao Congresso com previsão de R$ 89 bilhões para o pagamento de precatórios -dívidas do governo reconhecidas pela Justiça e sem chance de recurso.

Esse gasto, que cresceu fortemente e é tratado pelo ministro Paulo Guedes (Economia) como um meteoro, vai consumir todo o espaço no Orçamento que o governo esperava ter para implementar medidas positivas para o ano eleitoral.

As contas para 2022 não incluirão, por exemplo, uma versão turbinada do Bolsa Família. A falta de recursos também deve limitar as verbas para investimentos.

O plano do governo é aprovar a PEC (proposta de emenda à Constituição) que parcela precatórios e a reforma do IR (imposto de renda) e conseguir espaço no Orçamento para implementar esses programas em 2022.

As duas propostas, no entanto, sofrem com forte resistência de agentes do mercado e de parcela do Congresso. Sem a aprovação, técnicos do governo afirmam que não será possível reforçar programas sociais no ano que vem.

Continue Reading

Logo