Portal Notícias de Parauapebas

Prefeitura esclarece sobre dinâmica de vacinação contra a Covid-19 em Parauapebas

A Prefeitura de Parauapebas esclarece os dados relacionados à saúde em Parauapebas, apresentados de forma distorcida pelo Portal G1 em matéria publicada no dia 02 deste mês, na qual é afirmado que o município “está atrasado” com o cronograma de vacinação contra a Covid-19 e que aplicou somente a metade das doses recebidas. O referido veículo de comunicação fez uma leitura equivocada dos dados do vacinômetro do município, o que leva a prefeitura a repor a verdade à população.

Aplicação e armazenamento das doses

Até o dia 3 deste mês, Parauapebas recebeu 36.145 doses e aplicou 19.212. A diferença entre o número de doses recebidas e o número de doses aplicadas ocorre porque cada pessoa precisa receber as duas doses da vacina. A primeira dose é aplicada de imediato enquanto a segunda dose é armazenada na Central de Imunobiológicos, respeitando-se o intervalo de tempo específico para cada tipo de vacina.

O tempo de armazenamento da Coronavac é de um mês e, da AstraZeneca, até três meses, entre a primeira e a segunda dose. Somente com a aplicação das duas doses a imunização ocorre de forma eficiente.

Atualmente, o município conta com 7.415 doses da AstraZeneca em estoque, que estão sendo utilizadas na aplicação da segunda dose da imunização.

Agendamento

A aplicação das vacinas em Parauapebas iniciou dia 19 de janeiro deste ano, e desde então a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) mantém um rigoroso controle da vacinação. As pessoas a serem imunizadas precisam fazer um agendamento presencial nas Unidades Básicas de Saúde para registro dos dados: nome, número do cartão do SUS, CPF e RG, e são informadas sobre a data e local de vacinação.

O procedimento foi adotado para garantir prioridade na vacinação às pessoas que residem em Parauapebas.

Solicitação de mais doses

Atendendo a orientação do Ministério da Saúde, o município comunicou à Secretaria de Estado de Saúde (Sespa) sobre o déficit de vacinas por grupo prioritário. Faltam vacinar 3.819 profissionais da Saúde e 2.542 idosos com mais de 60 anos. O documento será analisado pela Comissão Intergestora Bipartite (CIB), composta pela Sespa e representantes dos municípios paraenses.

A Prefeitura de Parauapebas, por meio da Semsa, informa ainda que respondeu aos questionamentos feitos pelo Ministério Público. E reforça que realiza o processo de vacinação de forma transparente.

Comentários