Parauapebas um mundo de bolhas constituídas em grupos de Whatsapp buscando influenciar e modelar a sociedade.

Da minha bolha, saúdo a sua, numa espécie de namastê maluco típico de um mundo que vive entre o Black Mirror real e uma realidade disruptiva e frenética de opiniões e de todos os valores contemporâneos.

Civilização digital?

Que civilização sobrevive às fakes news diárias que saem dos aplicativos e chegam nas bolhas e ao mundo real em forma de discurso de moralidade, honestidade, irreverência desprezo, intolerância e até mesmo de ódio.

Esse novo mundo digital atuando nas bolhas de forma assustadora só não intimida em quem tem aquelas bolhas acolchoadas, com duplo reforço de espuma, e blindada , resistente aos impactos que a vida dá.

Eu até tento circular entre bolhas, para tentar aprender melhor sobre elas mas não sou frequentador diário .

Mas os novos comportamentos embaralham a semiótica.

Nada é o que parece ser.

Disfarçados de estrategistas, politicamente corretos realizado os startups das campanhas eleitorais , unicórnios do desejo de articulação, cheios de paradigmas, apresentando apenas novas roupas para velhas práticas.

Agora, ferramentas e novas linguagens substituem velhas percepções, antigos conhecimentos.

Tem dúvida de alguma coisa ou precisa resolver um problema? Já tem uma solução e um aplicativo para isso.

É só procurar na rede das conexões das bolhas e na nuvem.

Não uma nuvem mágica. A de faz de conta, dos algoritmos.

Zerinho ou um. Noves fora…nada.

E de repente a bolha estourou e lhe tiram do grupo . (WJN)

 

 

Comentários