Falta de opção, alta no desemprego, oportunidades escassas e forte concorrência entre os candidatos. Fatores como estes são os responsáveis por desempregados optarem por vagas fora de suas áreas de atuação, com exigências e salários menores. .

Os cortes atingiram não só os que não possuem qualificação, mas também profissionais mais escolarizados, que passaram a entrar na disputa.

SEM OPÇÃO

De acordo com a analista de recursos humanos da empresa Solar, Heynrique Nogueira , 60% das contratações realizadas no mês de Fevereiro foram de pessoas que aceitaram posições e salários mais baixos do que possuem anteriormente.

Ronaldo Modesto, Engenheiro de mina, aceitou a vaga de técnico em mineração, ” Tenho família e pago aluguel, não posso ficar desempregado, em Parauaebas o custo de vida é muito alto, aceitei a vaga e espero ser reconhecido na empresa e trabalhar como engenheiro futuramente” finaliza.

A incansável corrida pelas vagas pode ter sido causada pelas mudanças na regras do seguro-desemprego, já que agora, é necessário trabalhar por pelo menos um ano para ter direito ao benefício.

Pablo Oliveira- Da redação

 

Comentários