Por volta das 14h40min deste domingo (26), o espirita Manoel Vieira da Silva, 65 anos de idade, foi assassinado com dois tiros na cabeça efetuado por um indivíduo em uma moto de placa e modelo não anotados.

O crime aconteceu na residência da vitima no bairro Cidade Jardim em Parauapebas e segundo as informações que estão sendo apuradas pela equipe de homicídio da 20° Seccional Urbana de Polícia Civil de Parauapebas, a vítima que era dono de um Centro Espirita teria dias atrás teria recebido no local um homem que estava sendo procurado pela polícia acusado de vários crimes como homicídios e roubo de veículos.

Um parente de Manoel contou para reportagem que na semana passada o homem esteve na casa da vítima buscando cobertura espiritual e que no domingo passado o desconhecido se encontrava na casa de Manoel Vieira quando teria percebido a chegada da polícia que o procurava para prender, instante em que teria fugido do local pulando o muro dos fundos.

A polícia busca descobrir o motivo da morte da vítima uma vez que segundo a família ele era uma pessoa de bem e pacata que não ofendia ninguém.

Um membro da família desconfia que Manoel tenha sido executado pelo próprio criminoso que a vítima recebeu em sua casa, e que o crime tenha sido por queima de arquivo.

Na hora do crime, Manoel Vieira se encontrava em casa na companhia de sua esposa quando teria chegado ao local o assassino que após bater na janela da casa atirou na vitima quado a mesma abriu para olhar quem batia, momento em que foi surpreendida pelo pistoleiro que desferiu dois tiros na cabeça.

Após os disparos o criminoso deixou o local tomando rumo ignorado, a polícia busca imagens das câmaras de segurança das proximidades para tentar identificar um veículo Polo de cor vermelha de placa não anotada que estaria dando cobertura para o pistoleiro.

A polícia trabalha com duas hipóteses, a primeira seria que Manoel Vieira estaria envolvido em uma quadrilha de roubo de veículos, a segunda hipótese seria vingança uma vez que o mesmo sabia demais
chegando a hospedar o criminoso em sua casa. (Caetano Sillva da redação do Portal Noticias de Parauapebas)

Comentários