Se existe algo que deixa a população irritada é falta de água na torneira e a ausência de um serviço de qualidade, reclamações comuns em Parauapebas. Mudar a percepção negativa que as pessoas têm sobre o abastecimento será uma grande missão para Musa Nabih Musa Othman, que assimiu o comando do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas (Saaep).

Como servidor público efetivo, concursado no Saaep, Musa Nabih vai ter que aliar sua estabilidade emocional, racionalidade nas decisões e humildade à sua capacidade técnica, para lidar com uma autarquia tão complexa e oferecer melhorias na qualidade do serviço à população.

Musa Nabih tem 36 anos, é biólogo e foi professor em Canaã dos Carajás até ser aprovado no concurso que o trouxe à Parauapebas, onde mora há 4 anos. Nesse período, ele acumulou um amplo conhecimento técnico na área, suficiente para identificar os maiores problemas do órgão e traçar um planejamento eficaz, onde pretende mudar essa realidade.

As mudanças propostas partem do básico, o foco da primeira etapa da sua gestão: a qualidade e distribuição. “Meu objetivo junto ao Saaep e da minha equipe, é fornecer um serviço de qualidade à população, seja da água, na distribuição, no atendimento eficaz, no tratamento de esgoto etc.”, explica.

Com o passar do tempo, Musa Nabih espera dar passos maiores, como modernizar e ampliar a abrangência do sistema e aumentar de forma significativa o volume de água e esgoto tratados.

Algumas mudanças da sua gestão já são perceptíveis. Em poucos dias, o órgão ampliou o fornecimento de água no bairro Minérios em 5 mil litros por hora; no Parque dos Carajás com 200 mil litros de água por dia; e no Cidade Jardim em 180 mil litros por dia, resultado da reativação de poços. Além disso, o rodízio de limpeza nos reservatórios passou a ser amplamente divulgado na comunidade. O serviço de atendimento ao cliente também foi melhorado e o usuário pode registrar uma ocorrência pelo Whatsapp com mais agilidade.

“Vejo uma cidade próspera, mas muito aquém de seu potencial. Imagino que nos próximos quatro anos Parauapebas chegará mais próximo do seu verdadeiro potencial, tornando-se referência regional em diversas frentes e coloque-se entre os destaques nacionais”, considerou.

Comentários