Portal Notícias de Parauapebas
Publicidade SEMSA

Mulher confessa que matou ex-companheiro ao ser presa vendendo drogas em Parauapebas

Já se encontra presa a disposição da justiça desde sexta-feira (16), a nacional Sirlene da Silva Alves, vulgo “Negona”.  Ela estava sendo procurada pela policia acusada de homicídio tendo como vitima seu ex-companheiro Elvis Vieira da Costa, de 21 anos, com um golpe de faca, ocorrido em 9 de março, do corrente ano, em uma discussão entre ambos num bar na rua São Lucas com Rei Davi, bairro Betânia, Parauapebas.Desde o crime Sirlene Alves estava escondida na zona rural e de acordo com informações, a acusada, foi presa pela guarnição do sargento PM Evaldo e soldado PM Victor, as 18 horas, desta sexta (16), pela prática de tráfico de entorpecentes,na Av Brasil, esquina com a rua Araguaia, no bairro Rio Verde, quando a mesma foi flagrada pelas câmeras do CCO comercializando droga no local.

Informada da visualização pelo monitoramento de câmeras via Central de Comando Operacional, (CCO), que a mesma estaria vendendo entorpecente naquele logradouro, a guarnição realizou diligência, prendendo a mulher, que ao perceber a chegada da viatura da Policia Militar tentou disfarçar jogando uma carteira de cigarro contendo uma pedra de crack fora.

Conduzida para 20° Seccional Urbana de Polícia Civil de Parauapebas, onde foi feito uma busca pessoal pela policial militar CB PM Andreza foi encontrado escondido na calcinha de Sirlene uma trouxinha de maconha e um cachimbo artesanal, e a importância de R$ 144,00 em dinheiro que a policia presumiu ser oriundo da venda de droga.

Minuto após a prisão, Sirlene Alves foi identificada como sendo a autora da morte de seu ex-companheiro, indagado pelos PMs sobre a acusação de homicídio, Sirlene Alves, confessou o crime, e ainda disse que após comete-lo foi para zona rural só retornado ao município a uma semana atrás. (Caetano Silva da redação)

Comentários