Mais uma vez a diretoria da Associação Comercial, Industrial e Serviços de Parauapebas (ACIP), que tem à frente o empresário Humberto Costa, preocupada com a situação financeira de seus associados, vem tentando intermediar dívidas de terceirizadas da mineradora Vale com vários empresários locais.

Nesta terça-feira (26), a pedido da Diretoria da ACIP, os credores da empresa Transbrasiliana, que prestava serviços para a mineradora Vale, foram convocados para uma reunião na sede da Associação, localizada no Bairro Rio Verde e ouviram de representantes da Transbrasiliana, com acompanhamento da ACIP e da Vale, os questionamentos sobre os débitos que a empresa de transporte tem com vários empresários de Parauapebas.

Paulo de Tarso Chander, esteve na reunião e se apresentou como a pessoa responsável pela reestruturação da Transbrasiliana em todos os Estados onde a mesma atua. De acordo com Paulo, a empresa está avaliando cada unidade de negócio, expandindo a atuação de algumas e encerrando outras, tendo já fechado 3 unidades e que a princípio, a empresa continuará a atuar na linha Carajás / Parauapebas como transporte público, já que detém de concessão.

Ainda de acordo Paulo Tarso, os valores que ainda haviam a serem recebidos pela empresa Transbrasiliana da Vale, foram utilizados para quitar as questões trabalhistas. “Nossa empresa não pode ser comparada a outras que deram calote no mercado.  Honraremos todos os compromissos que ainda estamos pendentes no comércio de Parauapebas”, informou o representante da Transbrasiliana, que disse que a empresa está levantando todos os débitos,  documentando-os e analisando caso a caso. “Em paralelo estamos trabalhando maneiras de levantar os recursos necessários ao pagamento”, disse.

Questionado pela diretoria da Associação Comercial, Industrial e Serviços de Parauapebas (ACIP) à respeito da definição de uma data para realização dos pagamentos, Paulo Tarso respondeu que é necessário realizar o trabalho do levantamento e documentação de todos os débitos, além de levantar recursos para a quitação e estabeleceu o prazo de vinte dias, no máximo, para definição de data para pagamento.

Na reunião, os representantes da empresa Transbrasiliana responderam a diversos questionamentos dos credores, representantes da ACIP e da Vale e ao final do encontro definiu-se que a empresa deveria comparecer na ACIP, nos dias 27 e 28 de maio, no período de 8h00 às 14h00, para conversar individualmente com cada credor.

Em declarações prestadas à reportagem, Humberto Costa, Presidente da Acip, disse que “as reuniões ocorreram conforme planejado, foram comparados, conferidos e documentados os débitos apresentados pelos credores em relação ao controle da empresa. Na segunda semana de junho, novamente haverá contato entre a Transbrasiliana e ACIP, no sentido de definir-se nova data para reunião com os credores. Tencionando-se que a empresa já tenha uma definição de prazo para o pagamento de cada um”.

Reportagem e fotos: Bariloche Silva – Da Assessoria de Imprensa da ACIP

Comentários