O Tribunal Superior do Trabalho (TST) acatou, na tarde de ontem (25) o pedido dos Correios e concedeu liminar que determina que as federações representantes dos trabalhadores garantam o efetivo mínimo de 80% dos empregados em cada unidade dos Correios, sob pena de multa diária de R$ 100 mil no caso de descumprimento. A decisão foi divulgada nesta terça-feira (26). No Pará, greve teve início na última quarta-feira (20) com a adesão de cerca de 30 municípios, inclusive em Parauapebas, informou o Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira dos Correios e Telégrafos do Estado do Pará (Sincort/PA).

Segundo um levantamento dos Correios, hoje, 90,59% do efetivo não aderiu à paralisação em todo o Brasil, o que equivale a 98.350 trabalhadores. Já em Belém, 80,66% do efetivo está presente, o que corresponde a 1.844 empregados. Em algumas unidades a determinação do TST não está sendo cumprida.

Nas localidades em que há adesão ao movimento, os Correios vêm realizando ações com objetivo de amenizar os transtornos à população.No último fim de semana (23 e 24) foram entregues mais de 1,7 milhão de objetos postais (entre cartas e encomendas).

Em todo o país, a rede de atendimento está aberta e todos os serviços, inclusive o SEDEX e o PAC, continuam disponíveis. Apenas os serviços com hora marcada (Sedex 10, Sedex 12, Sedex Hoje, Disque Coleta e Logística Reversa Domiciliária) estão com postagens suspensas para os seguintes destinos: Alagoas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Pará, Paraná, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, e para algumas cidades do interior de São Paulo e de Pernambuco. O volume dos serviços com hora marcada postado para esses destinos representa apenas 0,5% de todas as encomendas entregues pelos Correios e a suspensão foi realizada com o intuito de redirecionar os recursos para os demais serviços, que são os mais utilizados pelos clientes. (ORM)

Comentários