O Governo do Pará entregou, nesta quarta-feira (22), em Santarém, oeste paraense, o terceiro Hospital de Campanha para o combate ao novo coronavírus. A estrutura fica no espaço Pérola do Tapajós, com 120 leitos, distribuídos em uma área de 3,6 mil metros quadrados. O governador do Pará, Helder Barbalho participou da cerimônia por videoconferência.

O chefe do Executivo Estadual ressaltou que, com o intuito de minimizar o impacto da crise de saúde, ainda na primeira quinzena de março, há mais de 40 dias, o Estado iniciou o processo de isolamento e convencimento da população como estratégia de confinamento social, de redução nas atividades. Segundo ele, o objetivo era que as pessoas pudessem se atentar para uma nova rotina de vida.

“Isso foi fundamental para evitar o aumento do contágio. Mas a situação nos exige trabalhar muito e, nesse sentido, a parceria com a Prefeitura de Santarém será muito importante para evitar o agravamento do cenário. Lembrando que o Hospital de Campanha não é só para Santarém, é uma estratégia que atenderá diversas regiões” – governador Helder Barbalho.

Hospital de Campanha servirá para as regiões Oeste, Baixo Amazonas, Xingu e TapajósO secretário Regional de Governo do Oeste, Henderson Pinto, destacou que o Hospital de Campanha é uma unidade de retaguarda para a população. Para ele, em uma decisão muito acertada com a Sespa, o governador construiu o Hospital de Campanha em Santarém, que servirá para as regiões do Oeste do Pará, Baixo Amazonas, Xingu e Tapajós.

“É importante dizer que será regulado pelo sistema de saúde do Estado, portanto, não é um hospital portas abertas, assim como os demais Hospitais de Campanha. A proposta é desafogar o fluxo de pacientes em hospitais de referência, que ficam com os casos mais graves” – Henderson Pinto, secretário Regional de Governo do Oeste.

Transporte aeromédico dará suporte com o deslocamento de pacientesO hospital contará ainda com o transporte aeromédico, com uma equipe composta por um comandante, uma enfermeira e um médico, que vão dar apoio para os pacientes que precisem se deslocar para os hospitais de referência, como o Regional do Baixo Amazonas. O protocolo de atendimento está sendo montado e, assim que concluído, os municípios serão informados.

O prefeito de Santarém, Nélio Aguiar, afirmou que o Hospital de Campanha veio no momento certo, já que os casos estão crescendo no município. “Os números de casos positivos continuam crescendo e também estão surgindo em outras cidades da região. Então, foi uma decisão muito acertada do governador, porque ele se antecipou a esse problema, tomou uma decisão lá atrás e hoje o Hospital de Campanha é uma realidade. Lembrando de que é sempre importante a gente continuar sendo muito rígido na prevenção, que a população possa cumprir as medidas e que cada município também possa fazer a sua parte”, destacou Nélio.

O Hospital de Campanha em Santarém está sendo gerido pela Organização Social Pan-Americana. Segundo o diretor geral da unidade de saúde, Silvério Cardoso, o Hospital de Campanha está apto para receber pacientes, com estrutura pronta, profissionais treinados e todos os serviços e apoio prontos para a população. “A gente está dispondo desses leitos no sistema de regulação, vai avaliar os perfis de pacientes para virem pra cá, já operacionalizar o hospital e garantir o desafogamento da rede, cada um atuando em seu nível de complexidade”, afirmou.

Além do Hospital de Campanha em Santarém, o Governo já entregou um Hospital de Campanha em Marabá, com 120 leitos, em Belém, com 420 leitos e irá entregar o de Breves, com outros 60 leitos.

Comentários