Portal Notícias de Parauapebas

Equatorial oferece cursos profissionalizantes para mulheres em situação de vulnerabilidade

Agosto é um mês em que são intensificadas as campanhas de enfrentamento à violência doméstica contra a mulher. A iniciativa surgiu em 2016 em comemoração aos dez anos da lei “Maria da Penha”, e costuma reunir diversos parceiros para ações e mobilizações. Nesse cenário, a Equatorial Pará também está com ações junto ao Instituto de Desenvolvimento Social – IDESO. 

A distribuidora de energia, em parceria com o Instituto MIX, oferecerá um curso de capacitação em Benevides para 25 mulheres já selecionadas pelo IDESO. Será disponibilizado o curso de design de sobrancelhas, no final do curso, essas mulheres irão receber um certificado de conclusão e poderão atuar na área.     

“Neste mês nós quisemos contribuir com a campanha Agosto Lilás atendendo algumas dessas mulheres em situações de vulnerabilidade. Por isso estamos oferecendo uma alternativa de qualificação profissional que possa ajudar a transformar as suas vidas por meio de independência financeira”, diz Michele Miranda, analista de responsabilidade social da Equatorial.  

Outra ação será desenvolvida nesta quarta-feira, ás 19 horas, com uma live no Instagram da Equatorial Pará (@equatorial.pa) com o intuito de abordar a temática violência doméstica. A live terá a participação da mediadora Amanda Campelo; da advogada criminalista, Larissa Miranda e a presidente do IDESO, Luciane Ferreira.  

O Instituto de Desenvolvimento Social – IDESO, atua nas garantias de direitos humanos e sociais na prevenção e enfrentamento da violência contra a mulher, ofertando acolhimento humanizado, escuta qualificada por profissionais como assistentes sociais, advogados e psicólogos.  

A presidente do Instituto de Desenvolvimento Social – IDESO, Luciane Ferreira, comenta sobre o incentivo “A parceria da Equatorial Pará e o Instituto de Desenvolvimento Social- IDESO vai ao encontro das Ações de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher, pois além de levar conhecimento às mulheres, motivando a autoestima, parte para a ação de qualificação, oportunizando a liberdade financeira no mercado de trabalho, com a execução do curso de design de sobrancelhas”, ressalta Luciane.    

Como denunciar?  

Denúncias de violência contra a mulher podem ser feitas por qualquer pessoa através do Disque 180 da Central de Atendimento à Mulher ou pelo contato da Combel, no número (91) 98896-1453 , que funciona de segunda a sexta-feira, de 8h às 18h. Também pelo aplicativo SOS Mulher, desenvolvido pela Prefeitura de Belém em parceira com o Tribunal de Justiça do Pará (TJPA). As denúncias vão direto para a Guarda Municipal, que faz a averiguação dos casos. O aplicativo está disponível para os sistemas Android e iOS.