“Eu geralmente falo para geólogo, mas falar para a comunidade é uma honra. Porque só as comunidades, somente os professores, poderão mudar, a partir da educação, o que acontece na região. A mineração dá sua contribuição para a região, mas a região não pode depender exclusivamente da mineração”. A mensagem foi deixada pelo geólogo Breno dos Santos, conhecido mundialmente como o “descobridor” das reservas minerais do complexo de Carajás, aos professores da rede municipal de ensino de Parauapebas.

O encontro, realizado no último sábado, 27/5, faz parte do projeto Circuito Mineração e reuniu cerca de 80 professores de Ciências, História e Geografia. A coordenadora de 3º e 4º ciclos da Semed, Valdelice Cardoso, destaca a importância do projeto.  “O circuito mineração veio fortalecer e ampliar os conhecimentos dos professores acerca da mineração desenvolvida em Carajás. O projeto está composto de várias ações e uma delas é este momento com o geólogo Breno dos Santos. Com certeza, as informações que ele está trazendo nesta palestra vão enriquecer muito mais o conhecimento do professor e farão parte dos conteúdos que são ministrados em sala, como por exemplo, a história do município”.

Para o professor Janary Santos, da Escola Eurides Santana, o momento com Breno dos Santos foi único. “Tivemos a oportunidade de conhecer a parte técnica e teórica, na prática, a partir da perspectiva de quem vivenciou todo esse processo. Ele destacou não só a visão da empresa, mas do corpo técnico, do investimento e das parcerias firmadas, inclusive com o estado, e da qualificação. Hoje a gente consegue transmitir para o aluno todo esse conjunto. Estes jovens são nativos e estão crescendo na região, mas ainda não têm uma visão voltada para a educação e para a qualificação. E Breno conseguiu nos mostrar tudo isso”, ressalta.

Circuito Mineração

O Circuito Mineração nas Escolas é uma iniciativa da Vale, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (Semed). Executado desde 2014, o projeto tem entre seus objetivos, uma maior aproximação dos alunos e professores da rede pública de ensino sobre a mineração e os benefícios que a atividade traz para a sociedade.

No início deste ano, Vale e Fundação Vale repassaram cerca de 258 kits para a secretaria.  A coordenadora Valdelice Cardoso fala sobre como este material está sendo aproveitado em sala. “Os kits de geociências já estão em sala de aula, e diversas atividades são desenvolvidas a partir desse material. Os kits contam com o caderno do aluno, caderno do professor, as amostras de minério e uma série de oficinas para realizar em sala, com toda uma orientação didática para o uso desse material, que é muito rico e está contribuindo significativamente para a formação dos nossos alunos”, explica.

A Vale também tem promovido visitas para receber alunos e professores. O circuito mineração conta também com uma agenda de visitas às unidades da Vale em Parauapebas e Marabá. Este ano, a primeira visita foi realizada na mina do Salobo, com cerca de 40 professores.  E, na última sexta-feira, dia 26/5, 76 alunos do 6º ano das escolas Antonio Matos Filho e Eunice Moreira, conheceram as instalações da Vale, em Carajás. O projeto também ocorre em Belém, Marabá, Bom Jesus do Tocantins e Ourilândia, com a apresentação sobre a mineração em escolas da rede pública de ensino.

Comentários