Em novembro de 2015, o ex-prefeito de Parauapebas Valmir Queiroz Mariano encaminhou o Projeto de Lei nº 060/2015 que institui o programa de geração de oportunidade de trabalho e de capacitação profissional.

A matéria criava 2.500 bolsas com o objetivo de tornar seus beneficiários “aptos a atenderem às exigências do mercado de trabalho”.

O projeto tramitou na Câmara e foi aprovados por maioria dos edis, sendo reprovado pelo vereador Antonio Massud (PTB) e a vereadora Eliene Soares (PMDB), esta ultima era presidente da comissão de justiça e redação, onde emitiu parecer desfavorável ao projeto por entender que o projeto iria impactar no orçamento do município, alem de acreditar ser com fins eleitoreiro, porem os vereadores Euzébio Rodrigues (PT) e a Joelma Leite (PSD), também membros da comissão, emitiram parecer favorável.

A proposição tramitou ainda pela Comissão de Finanças e Orçamento, que também emitiu parecer favorável, onde foi encaminhada ao executivo e por falta de recursos e orientação do Ministério Publico não foi baixado o decreto para execução.

Em Março de 2017, na ultima sessão ordinária na Câmara Municipal de Parauapebas, o vereador e presidente da Câmara Elias Ferreira (PSB), tenta desengavetar o projeto de autoria do antigo gestor, e através de indicação ao prefeito Darci José Lermen, solicita ao gestor municipal que a baixe decreto para regulamentar a Lei Municipal 4.634/2015, que institui o Programa de Geração de emprego.

Pablo Oliveira do Portal Noticias de Parauapebas

 

Comentários