Portal Notícias de Parauapebas
Publicidade SEMSA

De novo: Preços dos combustíveis vão aumentar no Pará hoje

A partir de hoje (16), entrará em vigor a alteração do Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no Estado do Pará na pauta de preços dos combustíveis. Isso deverá gerar impacto nas distribuidoras e refletir em aumento de preços ao consumidor final. O preço de pauta é o valor médio que a Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa) considera para fazer o cálculo do ICMS a ser recolhido. O da gasolina, que tem a maior alíquota de ICMS (28%), o diesel S10, com ICMS de 17% , o álcool, que tem ICMS de 26%.

Conforme avalia o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis e Lojas de Conveniência do Estado do Pará (Sindicombustíveis-PA), Ovídio Gasparetto, é importante que a população demonstre aos governantes a insatisfação com o que ele chama de “pesada carga tributária”, que já o imposto incidente em todo e qualquer produto onera consideravelmente os preços para o consumidor final.

O presidente do Sindicombustíveis-PA reforça  que, a partir de hoje, as distribuidoras podem repassar outros aumentos de custos. “Só que estes reajustes ainda não sabemos quais serão. Somente passaremos a saber a partir do momento que recebermos a primeira compra feita após o aumento”, explicou Gasparetto.

No final da tarde de ontem, muitos condutores de veículos não sabiam sobre a possibilidade de aumento no preço dos combustíveis. “Quero saber onde vai parar isso tudo, porque cada dia aumenta alguma coisa, só não aumenta o nosso salário. Os R$ 0,04 por litro na gasolina tem impacto significativo para quem usa o carro diariamente. Eu gasto R$ 600,00 por mês somente com combustível e esse valor vai subir”, afirmou o gerente comercial Marcos Loucharde, de 40 anos.

“Abasteço meu carro uma vez por semana.  Gasto a cada mês pelo menos R$ 350,00 e esse aumento é péssimo. Vou ter que diminuir os dias que saio para entregar meus produtos para os clientes. Eu saio duas vezes e agora vou fazer uma vez só”, disse a vendedora autônoma de lanches naturais, Regina Cortes, de 48 anos.

Comentários

Comentar