O período chuvoso é temido para quem vive próximo de áreas suscetíveis a alagamentos em Parauapebas. Este sentimento é o mesmo de empreendedores que possuem negócios em determinadas áreas alagáveis no centro da cidade. Estas são consequências do rápido crescimento da Capital do Minério. A infraestrutura de saneamento existente e planejada para o município não suportou a explosão demográfica e o inchaço populacional que ocorreu em tão pouco tempo.

Para solucionar este problema foi necessário pensar grande e assim iniciou o Prosap – Programa de Saneamento Ambiental, Macrodrenagem e Recuperação de Igarapés e Margens do Rio Parauapebas, um mega projeto para implantar um sistema eficiente de saneamento básico na cidade e resolver a situação dos alagamentos, que deve colocar Parauapebas em outro patamar no Estado e em nível nacional.

“O Prosap vai prover qualidade de vida à população e diminuir as desigualdades sociais. É uma missão árdua e complexa que foi passada pelo Prefeito Darci. Acredito que ao final do seu mandato será um dos seus grandes legados e um dos mais importantes, e estamos trabalhando diariamente para que isso possa acontecer, uma vez que o programa está previsto para acontecer nesses próximos anos”, disse Cleverland.

Para gerir uma obra desse tamanho foi necessário escolher um servidor competente, técnico, experiente e comprometido para liderar os trabalhos. Cleverland de Carvalho, 43 anos, o atual coordenador do Prosap, se encaixa nesse perfil. Por quê? São 16 anos residindo em Parauapebas, lugar que escolheu para construir sua carreira após se formar em Engenharia Ambiental pela Universidade Federal do Tocantins. Foram muitas especializações em instituições renomadas para agregar peso no currículo e adquirir capacidade técnica condizente com a função que ocupa.

E fez jus, já são 15 anos de funcionalismo público, ocupando várias posições de comando na Prefeitura de Parauapebas e Câmara Municipal ao longo desse tempo. Hoje, com sua designação, Cleverland reconhece que os desafios do Prosap são imensos, mas que com a ajuda da sua equipe – também bem qualificada – poderá concretizar a obra no prazo determinado a ela.

“Estamos falando em uma pasta super complexa, que tem como objetivo prover a cidade de sistemas eficientes de saneamento ambiental, para elevar os índices de salubridade ambiental através de coleta e tratamento de esgoto doméstico e abastecimento de água, que ao final do programa colocará a cidade de Parauapebas no topo das 100 cidades brasileiras que mais investem em tratamento de esgoto, e tudo isso tem envolvido um planejamento estratégico de médio e longo prazo, e que mexe praticamente com toda a cidade, pois vamos atuar nos dois grandes igarapés que cortam a cidade (Ilha do Coco e Lajeado)”, explica.

Outra demanda bem exigente são os tipos de recursos que financiarão o Prosap. “Temos que lidar com processos e normas de padrões internacionais, que são uma exigência do BID, que é o banco financiador, o que nos levou a investir pesado em capacitação técnica da equipe e a implantação de tecnologia de gestão de processos para a melhor execução do programa. Mais como sempre digo, estamos todos aqui pra poder contribuir com o desenvolvimento de Parauapebas”, complementou.

O Prosap realmente poderá mudar o cenário de Parauapebas para melhor nos próximos anos. “Só com as obras do Prosap teremos uma mudança significativa no plano urbanístico da cidade, sem contar que também teremos forte investimentos em outras áreas com obras públicas de urbanização, pavimentação, mobilidade urbana e turismo que está a cargo de outras secretarias da prefeitura. Assim, creio eu que nesses próximos anos poderemos com certeza participar e vê o crescimento e a mudança que ocorrerá em nossa cidade”, finalizou.

Comentários