Portal Notícias de Parauapebas
Publicidade SEMSA

Após depoimento, gerente de loja e deficientes visuais são liberados

Na tarde desta terça-feira (2) mais um caso foi registrado na 20° Seccional da Policia Civil de Parauapebas, sendo que desta vez trata-se de uma Confusão entre dono de loja e deficientes visuais de Parauapebas termina em caso de polícia.

Em entrevista do Portal Noticias de Parauapebas com o Delegado Felipe Oliveira, responsável pelo caso, ele nos detalha após ouvir as partes que, o gerente da loja foi ouvido e os deficientes visuais responderão por pertubação do sossego alheio.

Indagado sobre a acusação de obstrução de via da loja e sobre a atuação de código de ética e postura do município, o delegado diz que isso é gerenciado pela área administrativa juntamente com os órgãos competentes que irão apurar as irregularidades.

Nossa equipe também tentou contato com o gerente da loja que não quis dar entrevista e nem se posicionar sobre a polêmica que envolveu o nome da loja.

Um procedimento policial também será aberto para investigar a conduta dos policiais militares que conduziram os mesmos até a delegacia, que foi bastante reclamada pelos deficientes visuais.

Perturbar o sossego alheio (mediante gritaria, algazarra, abuso de instrumentos musicais, sinais acústicos, dentre outras situações) é crime, nos moldes do artigo 42 do Decreto-Lei Nº 3.688/41, passível de prisão simples, de 15 (quinze) dias a 3 (três) meses, ou multa.

Comentários