De acordo com os dados do Levantamento Rápido do Índice de Infestação do Aedes Aegypti (Lira-a), que identifica a quantidade de larvas do mosquito encontrada em imóveis da cidade, nos bairros cobertos pela equipe de Agentes de Endemias, o município de Parauapebas está na iminência de um surto de dengue e de outras doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti.

O índice do Lira-a em todo o município está em 8,8% segundo o último levantamento, realizado no período de 11 a 16 de janeiro. De acordo com o Ministério da Saúde, índice superior a 4% indica risco de surto de dengue. O bairro Guanabara apresenta o maior percentual, na casa dos 24%, seguido dos bairros Caetanópolis, 19%, e Bela Vista com 18,75%.

No final de 2015 a Prefeitura lançou uma grande campanha de combate ao mosquito, encabeçada pelas secretarias municipais de Saúde (Semsa) e de Serviços Urbanos (Semurb), em que foram realizados mutirões de limpeza para coleta de lixo e entulhos, e sensibilização da população para evitar água parada, limpa ou suja, pois esta é a condição necessária para o mosquito se reproduzir.

Os mutirões de limpeza continuaram em janeiro e o trabalho dos agentes de endemias também foi reforçado: além das visitas periódicas às residências, várias palestras em empresas, universidades e escolas já foram realizadas neste início de ano, é o que afirma a coordenadora de vigilância de endemia e ambiental da Semsa, a enfermeira Nubia Lima. Além disso, o carro fumacê está passando nos bairros com maiores índices de infestação do mosquito.

“Distribuímos vários panfletos durante a nossa campanha e todos os dias temos notícias sobre os problemas gerados pelo aedes aegypti, então a população está mais do que esclarecida sobre o assunto, é necessário mais comprometimento de cada um em cuidar da sua casa”, destaca Nubia Lima, informando que a partir da agora uma Lei Federal permite que os agentes de endemias entrem em imóveis fechados, para eliminar focos de criadouros do mosquito.

O prefeito Valmir Mariano solicita o apoio da população. “Essa é uma guerra que todos têm que se envolver: poder público e comunidade. Todos nós temos que dar as mãos e combater esse mosquito; cada um fazendo a sua parte. Juntos somos sempre mais fortes”, conclama o gestor municipal.

As câmeras de seguranças do sistema de videomonitoramento também deverão ser utilizadas no combate ao aedes aegypti, os operadores ficarão responsáveis de identificar endereços de casas e terrenos em que há possíveis focos do mosquito e repassarão as informações para a Semsa.

A intensificação dos mutirões e das ações de sensibilização da população deve ser ainda mais reforçada depois do carnaval. “Estamos em guerra e para vencê-la é necessário evitar que o aedes aegypti se reproduza, todos já sabem como fazer isso. Precisamos vencer essa guerra, caso contrário podemos perder pessoas que amamos para esse mosquito”, disse Nubia Lima.

Texto: Karine Gomes

Comentários