Está programada para o dia primeiro de julho, às 17 horas, a entrega do Hospital Geral de Parauapebas (HGP), maior estabelecimento de saúde pública da região sul e sudeste do Pará, com 11,7 mil m2 de área construída. A obra é um marco para a cidade e região, pois vai possibilitar a oferta de serviços de média e alta complexidade em saúde, uma carência atual.

Logo após a inauguração serão ofertados serviços que já são disponibilizados no atual Hospital Municipal de Parauapebas: partos, cirurgias eletivas ou de urgência em média complexidade e internações. O Pronto Socorro continuará funcionando no mesmo local e continuará sendo a porta de entrada de urgências e emergências, assim como a UPA.

O HGP funcionará com atendimentos regulados, ou seja, os pacientes serão atendidos lá a partir dos encaminhamentos realizados pelas equipes das Unidades Básicas de Saúde, Policlínica, UPA e Pronto Socorro Municipal. A partir do fechamento de um consórcio intermunicipal, os serviços de alta complexidade, incluindo algumas cirurgias, UTI e diálise, serão disponibilizados.

De acordo com o secretário de saúde, Juranduy Soares Granjeiro, o custo de manutenção dos serviços de alta complexidade é altíssimo, inviável para o município mantê-los, além disso, a oferta desse serviço é uma responsabilidade dos governos estadual e federal, por isso, no HGP, o atendimento de alta complexidade será viabilizado por meio de um consórcio intermunicipal envolvendo os municípios de Parauapebas, Canaã dos Carajás, Eldorado do Carajás e Curionópolis e o Estado.

O andamento do consórcio está recebendo uma atenção especial do governo estadual por ser o primeiro implantado no Pará, o modelo seguido é baseado na experiência exitosa do Ceará e propõe o rateio dos custos dos serviços de alta complexidade da seguinte forma: 51% contrapartida do governo estadual e 49% dividido entre os municípios participantes de acordo com a demanda de cada um
.
Estrutura, serviços e quantidade de leitos

Distribuído em cinco pavimentos, os serviços oferecidos no HGP serão: maternidade; cirurgias eletivas e de urgência; hemodiálise; UTI. A capacidade total é de 212 leitos. No terceiro piso fica a enfermaria da clínica médica com 50 leitos, sendo cinco deles destinados para pacientes psicossociais.

No segundo piso fica a enfermaria pediátrica e a clínica cirúrgica, totalizando 50 leitos. O setor administrativo do HGP, o Centro de Hemodiálise, que contará com 10 leitos, o Banco de Leite e o Laboratório ficam no primeiro piso. No térreo fica localizado a recepção geral do HGP, o Centro Obstétrico, Centro Cirúrgico, UCI Neo-natal, UTI Adulto, Pediátrico e Neo-natal. Ala de Imagens, estruturada com aparelhos de última geração para realização de Raio-X, Ultrassonografia e Endoscopia, também está montada no térreo.

Centro Obstétrico conta com 50 leitos e é composto por cinco salas de Pré-parto, Parto e Pós-parto (PPP), que possibilitará a presença do acompanhante e as condições adequadas para o desenvolvimento do parto humanizado. Além disso, o centro contará com duas salas cirúrgicas, sala de curetagem e sala para cuidados com os recém-nascidos.

O Centro Cirúrgico é composto por três salas cirúrgicas para atendimentos de cirurgias eletivas ou de urgência, sendo uma destinada para cirurgias de alta complexidade e as outras duas para média complexidade.

A UTI Neo-natal está totalmente equipada com aparelhos de última geração e disponibiliza de cinco berços para internação e mais dois exclusivos para o isolamento, já a UCI Neo-natal contará com 10 leitos e a UTI infantil disponibilizará cinco, enquanto na UTI de adulto serão 10 leitos.

No subsolo fica a entrada de emergência de trauma onde serão disponibilizados 10 leitos de observação. Os setores de almoxarifado do hospital, cozinha, nutrição, lavanderia e central de esterilização também ficam neste pavimento.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here