O Terminal Marítimo de Ponta Madeira (TMPM), operado pela Vale em São Luís (MA), passa por expansão para se tornar o porto do mundo em 2018 e atender o aumento de produção de minério de ferro com a operação do projeto S11D, em Canaã dos Carajás (PA). O S11D vai agregar 90 milhões de toneladas à produção do Sistema Norte, que inclui as minas do Complexo de Carajás.

De janeiro a setembro de 2015, Ponta da Madeira foi responsável pelo embarque de 87,9 milhões de toneladas de minério de ferro. Este volume representa um aumento de 13% em relação ao mesmo período de 2014. O terminal foi inaugurado em 1986 e completou 30 anos ontem (6).

Hoje, a capacidade de embarque do TMPM é de 150 milhões de toneladas por ano, mas, em 2018 aumentará para 230 milhões de toneladas anuais. Este patamar de movimentação, porém, será atingido em etapas que contemplam a equiparação da capacidade da mina, ferrovia e porto.

Na parte logística do projeto S11D, do qual faz parte a ampliação do porto, estão previstas ainda a construção de um ramal ferroviário, com 101 quilômetros de extensão, e a expansão da Estrada de Ferro Carajás (EFC). As obras de ampliação da estrutura portuária alcançaram quase 70% de execução.

As intervenções do TMPM incluem ampliações onshore e offshore, além da expansão do terminal ferroviário, localizado dentro do porto. No offshore, faz parte do projeto a construção do Berço Norte do Píer IV, acrescido de dois carregadores de navios, replicando o mesmo desenho do já existente Berço Sul.

A vantagem do Píer IV em relação a outros portos brasileiros é a capacidade de receber navios de grande porte como o Valemax, maior mineraleiro do mundo, com capacidade para 400 mil toneladas, 362 metros de comprimento e 65 metros de largura.

O sistema de amarração do Píer IV é único no mundo para navios com capacidade de 400 mil toneladas. Por sofrer grande incidência das correntes de marés, o píer conta com cabos de terra que auxiliam na amarração dos navios nos berços. O sistema permite que as gigantescas embarcações operem sem restrição.

Os berços contam, cada um, com dois carregadores com capacidade para embarcar 16 mil toneladas por hora, os chamados Dual Quadrant, considerados os maiores do mundo nesta categoria. As obras de conclusão do berço Norte do Píer IV e a instalações do carregador de navios Dual Quadrant estão dentro do cronograma esperado, segundo a Vale.

As obras onshore preveem a ampliação da retroárea do porto, onde estão sendo construídos quatro novos pátios de estocagem de minério, com capacidade para 600 mil toneladas cada. Eles vão se somar a outros 11 já existentes. Os novos pátios contarão com dois viradores de vagões, uma empilhadeira, duas recuperadoras e duas empilhadeiras-recuperadoras.

As obras em Ponta da Madeira também incluem a expansão do terminal ferroviário, composto pelo Posto de Inspeção e Abastecimento de Locomotivas (Pial) e uma oficina de vagões, que inclui um centro de troca e manutenção de rodeiros, tecnicamente nomeados de Centro de Troca de Rodeiros (CTR) e Centro de Manutenção de Rodeiros (CMR).

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here