Vencedora do concurso Melhores Receitas da Alimentação Escolar visita o Chile

345

A merendeira Maria Arlete da Silva, da Escola Municipal de Ensino Fundamental Novo Horizonte, vencedora da Região Norte no concurso Melhores Receitas da Alimentação Escolar de 2015, visitou o Chile no início do mês, como parte da premiação destinada às campeãs da seleção nacional.

O objetivo da viagem, segundo os organizadores, foi promover o intercâmbio de experiências e informações entre os envolvidos na política de alimentação escolar, a partir das distintas realidades de cada um dos países (Brasil e Chile).

Durante a viagem, as merendeiras visitaram na capital chilena, Santiago, o Escritório Regional da Organização das Nações Unidas (ONU) para a Alimentação e Agricultura (FAO), a Junta Nacional de Auxílio Escolar e Bolsas (Junaeb), o Centro de Distribuição Centralizado do Programa de Alimentação Escolar, além de uma escola de educação infantil.

Segundo Maria Arlete, a experiência foi enriquecedora. “Foi uma viagem maravilhosa. Conheci lugares que jamais pensei. Vi como funciona a educação lá e vivi um pouco da cultura, do idioma, do clima. Santiago é uma cidade muito linda”, frisa empolgada, a merendeira.

“Agradeço a Deus por essa oportunidade e, também, às pessoas que contribuíram para que eu chegasse onde cheguei, da escola onde trabalho e à minha família. Sem todos esses envolvidos, nada disso seria possível”, conclui.

Diferença

Quem foi convidada para acompanhar Arlete durante a visita foi a técnica em nutrição do Departamento de Alimentação Escolar (DAE), da Secretaria Municipal de Educação (Semed), Ana Cléa Bezerra Santos.

 Ana Cléa também teve ótimas impressões acerca do país e observou várias diferenças em relação à alimentação escolar.

“Lá eles têm escolas belíssimas e cozinhas bem estruturadas. Fazendo um comparativo em relação à alimentação escolar, pudemos perceber que nosso programa é muito bom. Aqui a merenda é garantida para todos, lá só têm direito as crianças de famílias de baixa renda. Nós valorizamos a agricultura familiar, uma alimentação o mais natural possível, realizamos trabalho de educação nutricional nas escolas, coisas que eles ainda não fazem”, relatou a técnica, informando que as nutricionistas que conheceram o projeto de alimentação escolar de Parauapebas gostariam muito de implantar um modelo similar.

Maria Arlete está aguardando a outra parte da premiação, um cheque no valor de R$ 5 mil, que deverá ser entregue em breve pelo Ministério da Educação (MEC). Segundo a vitoriosa, o prêmio será utilizado para dar entrada em um lote para construir sua casa. “O dinheiro vai ajudar a realizar meu sonho de ter minha casa”.

Comentários