A população no município de Breves, no arquipélago do Marajó, está preocupada com o número crescente de casos de febre tifóide na localidade. Nos últimos três meses, os casos subiram de 20 detectados no mês de novembro para 46 em dezembro, segundo a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

Morador há muitos anos do município, Raimundo Pinto Alves, conhecido como “Pirão”, já está sabendo do problema. Ele pede providências, mas já toma alguns cuidados.

“Estamos preocupados. Nós temos que saber o que se pode fazer. Pega água e põe hipoclorito, se não tem põe água sanitária e sulfato de alumínio para clarear e passa no filtro”.

A coordenadora de Planejamento da Vigilância em Saúde da Sespa, Carla Garcia, confirma os casos através dos levantamentos realizados em parceria com o Instituto Evandro Chagas. Até agora, são 46 casos, confirmando o surto da febre tifóide no município de Breves, no Marajó.

“O surto iniciou no segundo semestre de 2015. Uma equipe iniciada em novembro e formada por técnicos do Instituto Evandro Chagas foi para o local e lá foram diagnosticados 46 casos confirmados de febre tifóide. Nessa situação, algumas medidas de controle foram estabelecidas para conter o surto no município, como a investigação dos casos suspeitos, o controle dos casos suspeitos e positivos, inclusive o tratamento dos casos, realização de exames de PCR, cotricultura e hemocultura, investigação das pessoas que poderiam estar com a doença, tratamento de portadores assintomáticos, pessoas que têm a doença, transmitem, mas não têm sintomatologia”.

Carla Garcia orienta a população de todo o estado para alguns cuidados básicos.

“A população tem que ter orientação quanto descarte do lixo, embalar direitinho e deixá-lo de forma adequado para o recolhimento no município; higiene pessoal, ou seja, lavar a mão quando for processar ou consumir qualquer alimento. Tem a questão, também, do consumo de água de boa qualidade, ou seja, deve-se usar hipoclorito para eliminar as doenças que podem se potencializar na água. Além disso, os alimentos devem ser preparados e consumidos imediatamente”.