A população de Parauapebas já sente na pele as consequências da baixa umidade relativa do ar, e se não bastasse, as queimadas, fumaças e as cinzas são um problema a mais para os parauapebenses.

Pessoas com doenças respiratórias e cardíacas, crianças e idosos são os que mais sofrem com a baixa qualidade do ar. Os sintomas são: dificuldade para respirar, tosse seca, cansaço, ardor nos olhos, nariz e garganta.

Como se não bastasse a baixa qualidade do ar, as queimadas também aumentam nesta época do ano, o que prejudica ainda mais a saúde. Somente nesta quarta-feira (7), vários focos de incêndio foram registrados em Parauapebas, sendo o de maior proporção nas proximidades da Unidade de Pronto Atendimento – UPA, no bairro Cidade Jardim.

Registro feito por um internauta mostra a situação neste momento do incêndio nas proximidades da UPA de Parauapebas.

Posted by Noticias de Parauapebas on Wednesday, August 7, 2019

Sem nenhuma forma de fiscalizar e conter a prática ilegal de queimadas nas áreas urbana e rural do município, as autoridades, como a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMMA), muito pouco, ou quase nada fazem para pelo menos amenizar os problemas.

“A Secretaria de Meio Ambiente só serve para realizar a semana do meio ambiente e expedir licenças, não realiza campanha preventiva e tampouco fiscaliza e combate os focos de incêndio em Parauapebas” destaca Mariano Sales, técnico de meio ambiente e morador do bairro Cidade Jardim.

Confira do jeito que Parauapebas amanheceu:

Enquanto isso em Parauapebas…

Posted by Noticias de Parauapebas on Thursday, August 8, 2019

Cuidados – Umidificar o ambiente com aparelhos específicos ou de forma caseira, com baldes e toalhas molhadas é uma das soluções indicadas para melhorar o ar. Além disso, a população deve evitar colocar fogo em lixo e terreno baldio.