Seguranças da fazenda Mutamba, localizada na zona rural de Marabá, no sudeste paraense, foram agredidos após entrarem em conflito com trabalhadores sem terra na manhã deste domingo (27). A fazenda onde aconteceu a briga tem sido alvo de constantes invasões de trabalhadores rurais a procura de terra.

Tudo começou quando os seguranças da fazenda encontraram três pessoas dentro da área da fazenda pela manhã, um homem, uma mulher e uma criança. Segundo os seguranças, a família estava ateando fogo em um pasto que fica ao lado da sede da fazenda.

Os três foram flagrados pelos seguranças e levados para a 21. Seccional de Polícia de Marabá para os procedimentos cabíveis. O fazendeiro pecuarista Mauro Mutran acusa ainda o escrivão da polícia de não relatar o fato da maneira como aconteceu.

“O vigilante me ligou informando que o delegado de plantão já estava querendo liberar os criminosos, alegado que não teria provas, apesar de mostrarem para eles fotos comprovando o crime”, explicou. “Entrei em contato com o delegado Rogério, da secretaria de segurança em Belém, e solicitei que ele intervisse para que fosse feito o correto BO”, declarou.

MAIS CONFUSÃO

Enquanto os seguranças e os suspeitos estavam na delegacia, outros membros do grupo decidiram invadir a fazenda e acabaram entrando em confronto com os seguranças identificados como Altair Junior, Bruno Walisson e Raí Souza Carneiro, que os acusaram de atearem fogo novamente no prédio da sede do local. Os seguranças foram encaminhados para o Hospital Municipal de Marabá. O segurança Altair Junior teve o seu maxilar fraturado, além de ter sido atingido com várias coronhadas.

O delegado Alexandre Nascimento, da Delegacia de Conflitos Agrários – Deca confirmou os ataques e a agressão sofrida aos agentes de segurança. Ele declarou que será preciso abrir um novo procedimento para analisar um possível pedido de reintegração de posse. Será aberto também procedimento para apurar as agressões. Entretanto, ele não quis dar entrevista e disse que não irá se pronunciar sobre o caso.

Os dois invasores adultos (homem e mulher) que foram levados pelos seguranças para a delegacia foram ouvidos pelo delegado de plantão da seccional e liberados logo em seguida. Eles irão responder por crime ambiental, por já terem registro de atearem fogo de forma irregular. (Diário do Pará/Marabá)

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here