Seca no rio Parauapebas atinge nível alarmante e a falta de água já se torna realidade no município

0
2405
Longe ainda de se iniciar o período de chuvas e moradores das cidades de Parauapebas e Canaã dos Carajás já estão preocupados com o baixo volume das águas do Rio Parauapebas. A estiagem prolongada e a retirada descontroladamente de água na região e o crescimento das cidades vêm contribuindo para que o nível das águas se apresente menor que o esperado para esse período do ano. Em vários pontos do rio já é possível fazer a travessia com as águas batendo na altura dos joelhos. “É uma situação preocupante. Se não for tomado alguma medida, poderemos ficar sem água num curto prazo de tempo”, afirmam membros da Associação Brasileira de Acadêmicos e Ambientalistas – ABRAA.
O rio Parauapebas, localizado no centro-sul do Estado do Pará e cortando o município de mesmo nome, é responsável pelo fornecimento de água para quase a totalidade do abastecimento público da cidade, além de servir como fonte de recreação e pesca. O baixo nível das águas do rio está preocupando moradores, pescadores e membros da Associação Brasileira de Acadêmicos e Ambientalistas – ABRAA que tem como objetivo de realizar atividades educacionais, treinamentos, ensino, pesquisa e extensão de forma a orientar a sociedade sobre a importância de se preservar o meio ambiente em áreas urbanas e rurais.
Para a Associação Brasileira de Acadêmicos e Ambientalistas que realizou no último domingo (2) uma visita técnica no local, o nível do rio atingiu índice alarmante, podendo levar um colapso em um futuro próximo, como a escassez da água.
A ABRAA tem como princípio a garantia do desenvolvimento sustentável, respeitando e fazendo respeitar a biodiversidade de cada bioma do País e as suas especificidades, além do objetivo de realizar atividades educacionais, treinamentos, ensino, pesquisa e extensão de forma a orientar a sociedade sobre a importância de se preservar o meio ambiente em áreas urbanas e rurais.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here