Dois dias foram insuficientes para dois técnicos da Secretaria de Estado de Turismo do Pará (Setur) percorrerem os 50 estabelecimentos de Parauapebas programados para serem cadastrados no Ministério do Turismo. Mas foram suficientes para eles se surpreenderem com a estrutura do município, principalmente com a rede hoteleira.

            “Foi uma grata surpresa a quantidade e a qualidade da rede hoteleira, que é uma das melhores do Estado sem sombra de dúvidas”, atesta o técnico Raul Goulart, que afirma ter sido muito bem recebido em todos os locais onde foi. Ele e o colega Albert Pantoja foram a hotéis, restaurantes, agências e cooperativas de turismo e de transporte.

Dos 30 estabelecimentos visitados, 27 já irão entrar no Cadastur e receber o certificado do governo federal. Em outros três locais, o proprietário não se encontrava para assinar a documentação. “Ainda temos muitos estabelecimentos para cadastrar, então a ideia é retornar para fazer novos cadastros”, antecipa Goulart. “Até o final do ano, continuaremos com a segunda etapa. É um trabalho contínuo”.

Criado em maio deste ano, o Departamento de Turismo de Parauapebas (Detur), que é atrelado ao gabinete da prefeitura, tem se movimentado para começar a alavancar o turismo no município. O coordenador, Marcos Alexandre dos Santos, não esconde o entusiasmo diante da convicção de que o turismo, com destaque para o ecoturismo, está entre as novas matrizes econômicas que podem livrar Parauapebas da dependência da mineração.

Como exemplo de potencialidade, Alexandre Santos cita a Floresta Nacional dos Carajás, que atrai turistas do mundo todo. “Nosso parque é o sexto mais visitado do País e podemos avançar muito mais. Só precisamos trabalhar para a comercialização dos atrativos da nossa região”, diz ele, para pontuar que o papel da prefeitura é fomentar a atividade para estimular o empresário a investir.

Nesse caso, ressalta o coordenador do Detur, é importante parcerias com instituições e cooperativas, como o Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio).

E qual a importância de cadastrar os estabelecimentos? Os técnicos e Alexandre Santos explicam que existem benefícios diretos e indiretos. Ingressando no Cadastur, o estabelecimento pode obter linhas de financiamento, participar de licitações e ganhar a preferência em cursos de qualificação oferecidos pelo Ministério do Turismo.

Indiretamente, o município se fortalece porque ganha maior visibilidade no mapa do turismo. Assim, atrai mais turistas. Consequentemente, a economia cresce e há geração de emprego e renda. E os estabelecimentos não devem se enganar. O mapa é muito pesquisado para quem gosta de viajar e que busca saber da estrutura das cidades.

QUALIFICAÇÃO EM SETEMBRO

“A qualidade no atendimento é que vai ganhar o turista. Quem não estiver preparado, com equipe de funcionários qualificados, sai perdendo”, observa Alexandre Santos, que espera que Parauapebas se mantenha na categoria B do Mapa do Turismo, dentro de uma classificação que vai de A (municípios com maior fluxo turístico, hospedagens e emprego) a E.

 No Pará, dos 144 municípios apenas 23, incluindo Belém, estão agrupados na categoria A. Na categoria B, estão Parauapebas, Altamira, Marabá, Salinópolis e Santarém. Os técnicos da Setur frisam que apesar de o cadastramento ser obrigatório pela Lei Federal nº 11.771/08 só há vantagens para quem está no Cadastur. “E qualquer empreendimento formalizado pode se cadastrar”, informa Raul Goulart.

E cadastrando-se já terá prioridade no curso que será realizado em setembro pelo Programa Estadual de Qualificação Profissional do Turismo (PEQTur/PA) sobre “Planejamento Estratégico de Desenvolvimento do Turismo”, que será realizado em Parauapebas, Belém e Santarém. Em Parauapebas, o curso espera qualificar 44 municípios da região.

Também em setembro, entre os dias 21 e 24, será realizada a 8ª Feira Internacional de Turismo na Amazônia (8ª Fita). Será no Centro de Convenções, em Belém, onde Parauapebas vê uma grande oportunidade de apresentar seus produtos turísticos e onde empresários do setor podem trocar experiências.

Para impulsionar o turismo em Parauapebas, informa Alexandre, a prefeitura está reativando o Conselho de Turismo e já entregou para o governo federal dez propostas de projetos para o município, como a construção de um centro de convenções e do Centro do Turista. Com recursos federais, a prefeitura planeja também construir uma nova rodoviária e revitalizar pontos turísticos, como a Praça da Bíblia.

Texto: Hanny Amoras

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here