Pro Paz Parauapebas: atendimento integrado e mais segurança para crianças, adolescentes e mulheres

0
457

Doze meses. Este é o prazo previsto para a entrega do Pro Paz Integrado em Parauapebas, um serviço que oferecerá, em um só lugar, atendimento integral e interdisciplinar a mulheres, adolescentes e crianças vítimas de violência doméstica e sexual.

O início das obras foi marcado pelo lançamento da Pedra Fundamental, realizado ontem 09, pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal da Mulher (Semmu), com a presença da comunidade e autoridades.

A missão do Pro Paz é oferecer acolhimento interdisciplinar e qualificado, promovendo a cidadania, evitando a reincidência da violência e encorajando as mulheres a buscar apoio especializado.

Para a secretária da Semmu, Cimeire Silva, além de representar uma conquista, o Pro Paz é a realização de um sonho, pois evita que a mulher vítima de violência passe por constrangimentos e a incentiva a não desistir de seus direitos. “Toda a rede de atendimento à mulher já existente em Parauapebas estará reunida em um só espaço, evitando que a vítima tenha que passar por vários locais em busca de ajuda”.

“No mesmo núcleo, ela vai ter toda assistência psicológica, social, jurídica e criminal”, reforçou a delegada da Mulher de Parauapebas, Ana Carolina Carneiro de Abreu, também presente no evento.

Pioneiro no norte do país, o Pro Paz Integrado, um projeto assinado pelo Governo do Pará, já fez 17.032 atendimentos de 2004 a 2014, dos quais 44,8% são de violência contra a mulher.

Em Parauapebas, além de receber crianças, jovens e mulheres do município e cidades vizinhas, possibilitará traçar um painel mais detalhado da infância e da adolescência na região.

“É um privilégio o Pro Paz vir para Parauapebas. Foram anos de luta para conseguirmos uma delegacia e, hoje, ver toda essa estrutura disponível em um só lugar, é um marco importantíssimo para a cidade”, comemora a presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, Síndima Pinto.

Reconhecimento e Estrutura

O Pro Paz foi a única inciativa governamental do Brasil reconhecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) como experiência positiva na prevenção à criminalidade no mundo, por oferecer uma perspectiva de prevenção que vai além de uma visão repressiva, “abre oportunidades para a população e oferece acesso a serviços de saúde, educação em espaços adequados”, menção feita durante o 13º Congresso de Prevenção contra o Crime, que aconteceu em abril deste ano, em Doha, no Qatar.

A solicitação para implantação do Pro Paz Integrado em Parauapebas ocorreu por inciativa da Prefeitura que disponibilizou parte dos recursos para construção da obra, orçada em mais de R$ 2 milhões e ainda disponibilizou a área, localizada na Avenida J, Bairro Jardim Canadá, onde o projeto está sendo edificado.

Serão oferecidos serviços na área de segurança pública e proteção social. Conselho Tutelar, IML, Polícia Civil, Delegacia da Mulher, Bombeiros, Ministério Público e Defensoria Pública também são parceiros da rede municipal de atendimento à mulher que conta com o Centro de Referência da Mulher, Defensoria da Mulher, Casa da Mulher e Casa Abrigo, onde mulheres vítimas de violência ou que vivem sob ameaça de morte, são acolhidas e têm sua integridade física e psicológica preservada por meio de um endereço sigiloso, com segurança 24h por dia, até a conclusão de processo judicial.

Desafios

Segundo a delegada da Mulher de Parauapebas, Ana Carolina Carneiro de Abreu, alguns desafios quanto ao encorajamento da mulher a denunciar seu agressor estão sendo superados. Ela ressalta que a dependência financeira é um dos principais motivos que impedem que a mulher rompa com a realidade da violência doméstica.

Para ela, é preciso mais que o papel da delegacia que é retirá-la de casa e prender seu agressor. É necessária atuação conjunta da rede de atendimento. “A Semmu tem feito um papel muito importante, que é o papel social, com a oferta de cursos profissionalizantes e amparo jurídico para garantir o pagamento da pensão alimentícia pelo agressor”, reconhece Ana Carolina.

 

 

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.