Desde o dia 14 de novembro, o governo cubano decidiu sair do Programa Mais Médicos citando ‘referencias diretas, depreciativas e ameaçadoras‘ feitas pelo presidente eleito Jair Messias Bolsonaro – PSL em relação a presenças de médicos cubanos no Brasil.

“Condicionamos à continuidade do programa Mais Médicos a aplicação de teste de capacidade, salário integral aos profissionais cubanos, hoje maior parte destinados à ditadura, e a liberdade para trazerem suas famílias. Infelizmente, Cuba não aceitou.” Destacou Bolsonaro em sua conta no twitter.

Ainda no discurso, o presidente eleito mencionou que o acordo entre Brasil e Cuba seja que 70% dos salários dos médicos sejam enviados a Cuba, mas hoje eles tão ficando com 90% dos salários dos trabalhadores.

Com a saída, varias cidades do Brasil serão afetadas, em Parauapebas o município terá a saide de 3 médicos que fazem parte do Programa Mais Médicos.

Edital para suprir as vagas:

As inscrições do Programa Mais Médicos para preencher vagas abertas com a saída dos médicos cubanos começam a partir das 8h desta quarta-feira (21) e vai até o dia 25 deste mês. Conforme o edital publicado nessa terça-feira (20) pelo Diário Oficial da União, poderão se inscrever os médicos brasileiros com CRM Brasil ou com diploma revalidado no país.

De acordo com o Ministério da Saúde, os profissionais habilitados podem se inscrever por meio do site maismedicos.gov.br. O início das atividades está previsto para 3 de dezembro. São ofertadas 8.517 vagas para atuação em 2.824 municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI), que antes eram ocupadas por médicos da cooperação com Cuba. As vagas serão preenchidas por ordem de inscrição.

“O edital é a medida emergencial adotada pelo governo brasileiro para garantir a assistência em locais que contam com profissionais de Cuba, após o comunicado da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) no qual o governo cubano informa que encerrou a cooperação no programa Mais Médicos”, diz nota publicada pelo ministério.

Comentários