Foi preso em flagrante nesta tarde, terça-feira (20), Matheus Ferreira da Silva, de 20 anos, acusado de tentar assaltar uma loja no centro comercial do Bairro Cidade Nova, em Parauapebas. Segundo a Polícia Civil, ele rendeu funcionários e usou alguns como reféns para tentar chegar até o cofre da loja, mas depois desistiu do assalto e fugiu.

Matheus foi preso pouco depois por uma guarnição da Polícia Militar, no Residencial Alto Bonito, localizado às margens da PA-160. Matheus ainda vai ser ouvido pelo delegado Felipe Oliveira, que está à frente do caso.

O delegado relata que na tarde de hoje, por volta de 15 horas, a equipe de plantão recebeu da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil recebeu a informação sobre um assalto em uma loja no centro comercial e que o ladrão estava usando uma pessoa como refém. Imediatamente uma equipe foi deslocada até a loja.

As imagens das câmeras de segurança mostram Matheus Ferreira dentro da loja  

“Quando chegamos ao local, o acusado já havia se evadido. Testemunhas contaram que ele estava usando uma arma de fogo, com a qual ameaçou e rendeu alguns funcionários, para que o levassem até o cofre, mas por circunstâncias desconhecidas, desistiu do assalto e fugiu”, detalha o Felipe Oliveira.

Ainda de acordo com o delegado, enquanto a Polícia Civil analisava as imagens das câmaras de segurança da loja, para tentar fazer a identificação do assaltante, que usava o uniforme de trabalho de uma empresa, uma equipe da Polícia Militar, em diligência, conseguiu localizar um suspeito com as mesmas características no Residencial Alto Bonito. Ele foi detido e posteriormente testemunhas confirmaram, sem dúvidas, que se tratava da mesma pessoa que tentou assaltar a loja.

Felipe Oliveira ressalta que Matheus Ferreira já tem passagem pela polícia. Agora, adianta o delegado, ele será autuado em flagrante no artigo 157, parágrafo 2º A, inciso 1, que define o roubo circunstanciado mediante emprego de arma fogo.

O Correio de Carajás ainda não conseguiu ouvir o acusado porque ele está recolhido à cela, aguardando ser ouvido pela polícia. (Fonte: Correio de Carajás/ Tina Santos – com informações de Ronaldo Modesto)