A primeira fase da operação “Redenção-Marabá” iniciou nesta quarta-feira (20) no município de Ourilândia do Norte, na região sul do Pará. O objetivo é cumprir a execução de ordens judiciais de reintegração de posse de fazendas da região. O mandado foi expedido pela justiça e definido os respectivos Oficiais de Justiça que executarão as ordens encaminhadas, originárias das varas agrárias dos municípios de Redenção e Marabá.

Polícia Civil, Polícia Militar, Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (CPC), Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp) e Corpo de Bombeiros Militar são os principais órgãos de segurança pública que compõem a operação que tem na coordenação geral o coronel Leão Braga, comandante de Missões Especiais da PMPA, com o apoio do tenente coronel Mauro Matos, atual comandante do Regimento de Polícia Montada “Cassulo de Melo”, e do major Maurício Santana, do Comando de Missões Especiais.

Uma das fazendas da região está localizada na entrada do município e já estava ocupada por dez anos. É a fazenda Boa Fé, que passou por um longo período de negociação com os invasores do terreno para que a desocupação ocorresse de maneira tranquila. “A negociação pacífica vem sendo negociada desde o dia 14 de janeiro na Vara Agrária de Redenção com a presença dos órgãos de segurança pública e os representantes da comunidade. Essa reunião foi fundamental, pois o proprietário colocou a disposição dois caminhões para a mudança e as pessoas desmancharam as suas casas voluntariamente desde o dia 19. São 309 famílias que estão desocupando o terreno gradativamente”, informou o coronel Leão Braga.

No local, 98 homens além de viaturas da PM, Corpo de Bombeiros, UTI Móvel e uma aeronave do Graesp deram suporte para que a operação ocorresse com tranquilidade. Devido a extensão da propriedade e a dificuldade ao acesso em vários ramais, tratores e caminhões estão sendo usados para chegar aos pontos mais distantes da fazenda.

Segunda fase

Na primeira fase da operação, as fazendas a serem reintegradas ficam localizadas em Redenção, Ourilândia do Norte e São Felix do Xingu, com previsão inicial de 13 dias para a conclusão dos trabalhos. Após a conclusão desta fase, começará a segunda fase, que estará sob comando operacional do tenente coronel Rosinaldo Conceição, subcomandante de Missões Especiais da PM e subcomando com o major Elton Medeiros, comandante da Companhia Independente de Polícia Fluvial. Os imóveis a serem reintegrados estão localizados em Eldorado dos Carajás, Parauapebas e outras áreas, conforme os mandados judiciais já emitidos.

A previsão de término da segunda fase é para 9 de fevereiro. Pela PM, além das unidades do Comando de Missões Especiais, trabalham na ação os Batalhões de Polícia de Choque e de Polícia Tática, Companhia Independente de Operações Especiais e Regimento de Polícia Montada. Policiais militares do Corpo Militar de Saúde da PM também compõem o efetivo que seguiu para a missão.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here