Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
Início Notícias Destaques Nova gestora do SAAEP faz medidas paliativas para resolver problemas no abastecimento

Nova gestora do SAAEP faz medidas paliativas para resolver problemas no abastecimento

Pioneira em Parauapebas, tendo profundo conhecimento dos problemas da população, Francisquinha de Almeida Vieira, assumiu a Diretoria do SAAEP (Serviço Autônomo de Água e Esgotos de Parauapebas) e já encontrou um grave problema.

Uma das situações mais críticas atualmente envolve os bairros Tropical I, Tropical II, Ipiranga e arredores. O caso se deu em decorrência da seca de parte dos poços artesianos existentes nos bairros mencionados, e ainda  da represa responsável pelo abastecimento daqueles logradouros. Visando atender a população dentro das possibilidades e por se tratar de uma situação emergencial, a Diretoria adotou uma medida paliativa disponibilizando caminhões pipas para o abastecimento das caixas residenciais.

Outros problemas existentes nesta modalidade de abastecimento é o caso de muitas pessoas não estarem em suas residências no momento do abastecimento e sobre as constantes denuncias de corrupção no abastecimento com carros pipas, todos os colaboradores do SAAEP estão empenhados em fiscalizar e manter o bom andamento dos serviços.




A Diretora informou ainda que existe uma rede de 150 milímetros vinda do bairro Betânia que foi alongada por mais 1.200 metros o que permite o abastecimento de 25% da área afetada pela seca, mas o restante continua sendo atendido pelos caminhões pipas.

Outra ação que faz parte das medidas paliativas são os poços artesianos, um total de três, que tem ajudado a abastecer parte dos bairros. A maneira usada foi, segundo ela, primeiro mapear os bairros Tropical, Ipiranga e Linhão depois criado planejamento para o atendimento das aproximadamente 16 mil pessoas que ali moram. Mas a conta não é tão simples quando se multiplica 150 litros diários por pessoa o que significa 2,4 milhões de litros de água por dia.

Mas há outro agravante neste modelo de abastecimento, é o caso de que as pessoas acostumadas com a água da rede não possuírem reservatórios na frente das casas. Isso compromete o serviço, pois os carros pipas possuem mangueiras de apenas 10 metros. “É preciso que a população colabore evitando o desperdício e disponibilizando reservatórios”, tranquilizando a população a Diretoria informa que o Prefeito Valmir Mariano, já tem conhecimento do problema, estando dando total apoio e deu a missão à equipe do SAAEP para resolver em definitivo o problema.




Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Must Read

Polícia Federal indicia Lula e filho por lavagem de dinheiro e tráfico de influência

A Polícia Federal indiciou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o filho dele, Luís Cláudio, por suposto crimes de lavagem de...

Prefeito de Tracuateua é afastado do cargo

Prefeito de Tracuateua, Tamariz Cavalcante, é afastado do cargo e seu vice Zezinho Costa assume o Executivo. Juntamente com o prefeito também foram afastadas...

Por ‘ciúmes’ do marido, mãe mata a filha recém-nascida degolada

Uma mulher de 21 anos, da cidade de Rivne, na Ucrânia, está sendo acusada de degolar a própria filha recém-nascida após ter uma crise...

Câmara de vereadores de Parauapebas cria CPI para investigar a CELPA

Uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) foi instaurada na Câmara Municipal de Parauapebas com a finalidade de investigar os preços na cobrança dos tributos praticados nas contas de...

Vale reúne com comunidades de Parauapebas para esclarecer sobre barragens

A Vale está dando sequência as reuniões e visitas nas comunidades próximas às suas operações no Pará para falar sobre estabilidade de suas barragens...

Comentários