Com a presença de representantes do Ministério da Saúde, da Secretaria de Estado de Saúde (Sespa), do secretário municipal de Saúde, Rômulo Maia; e da secretária municipal de Educação, Juliana de Souza, a Prefeitura de Parauapebas, sob coordenação da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), lançou nesta quarta-feira (6) a Campanha de Combate à Hanseníase e Verminoses nas Escolas.

Com o tema “Hanseníase, verminoses e tracoma têm cura: Faça essa lição de casa e proteja-se”, a campanha tem como finalidade reduzir a carga parasitária de geohelmintos (grupo de doenças parasitárias intestinais) em estudantes do ensino público fundamental, identificar e tratar casos suspeitos de hanseníase e de tracoma (doença inflamatória dos olhos).

O coordenador estadual de hanseníase, Luiz Augusto, explicou aos profissionais de saúde e educação como serão desenvolvidas as ações da campanha em 2014, ressaltando a importância da participação do município para que o estado possa cumprir a meta estabelecida.

“Parauapebas, que é um município ativo, ano passado contribuiu para que as metas da campanha fossem cumpridas com qualidade. Essa parceria com a educação é fundamental na sensibilização dos pais sobre a importância da campanha. Vamos trabalhar com alunos na faixa etária de 5 a 14 anos”, explicou Luiz Augusto.

De acordo com a coordenadora municipal do programa de hanseníase, em 2013 foram detectados dois casos de hanseníase nas escolas e os estudantes estão em tratamento. Este ano, as atividades acontecem no período de 11 de agosto a 30 de setembro, cujas ações incluem mobilização e orientações aos professores e estudantes e preenchimento da ficha de auto-imagem para detecção da doença. Profissionais de saúde também administrarão medicamentos para reduzir a incidência de verminoses nos estudantes.

“Esta é segunda vez que realizamos esse trabalho para poder detectar precocemente casos novos de hanseníase, porque uma vez que há uma criança com hanseníase provavelmente na família dela tem alguém doente. Outro alerta é que uma criança que senta todos os dias ao lado do mesmo colega pode transmitir a doença. Nossa meta é atingir até 80 % dos estudantes”, destacou a coordenadora.

A secretária de Educação, Juliana de Souza, falou da parceria das secretarias, destacando a divulgação das informações a respeito da doença e das formas de prevenção dentro e fora das escolas. “Os alunos são agentes multiplicadores de conhecimento. Eles repassarão o que aprenderam para um público muito maior, que são seus familiares e amigos e, assim com certeza atingiremos um ótimo resultado”, afirma a secretária.

Hanseníase

Hanseníase é uma doença infecciosa e crônica causada pelo Mycobacterium leprae. Apresenta manchas na pele. Essas manchas apresentam perca total ou parcial de sensibilidade, podendo o local da macha não doer, não coçar, apresentar queda de pelos e não apresentar suor. Podem ser de cores esbranquiçadas, avermelhadas. Muitas vezes são confundidas com pano branco, impingem ou micose, mas para tirar melhor suas dúvidas se a mancha é ou não hanseníase procure uma unidade de saúde.