Prefeito eleito em 2012 é investigado e foi afastado no dia 14 de maio. Vice Francis Lopes assumiu e disse que situação de contas públicas assusta.

Infelizmente encontrei o município meio sucateado”, afima Franciel Lopes, prefeito em exercício, sobre a situação do município de Eldorado dos Carajás, no sudeste do Pará. Franciel era o vice-prefeito da gestão de Divino Alves, eleito em 2012 e afastado no último dia 14 de maio.

O ex-prefeito e o ex-Secretário Municipal de Educação, Augusto César Monteiro Falcão, foram afastados após denúncias de improbidade administrativa feitas pelo Ministério Público do Pará (MPPA). O vice Francis Lopes assumiu o cargo e afirma que encontrou as contas públicas do município em situação preocupante. “Me causa estranheza. A gente só costuma ver isso em final de governo, não no meio de um governo. Eu preciso de todas as dependências da prefeitura funcionando para que as coisas funcionem”, diz Lopes.

Após apuração de denúncias, o MPPA constatou que a Empresa D.A. Costa Comércio, que era utilizada para emitir notas fiscais referentes à compra de merenda escolar, não participou do edital de licitação. Segundo as ivestigações do MPPA, as notas emitidas somam mais de R$ 75 mil.

“Pela documentação que o município nos encaminhou, no processo licitatório essa empresa não teria participado. No entanto, as notas fiscais que conseguimos, todas devidamente confirmadas pelo site da Receita Federal, constatou-se que a empresa emitiu notas fiscais de merenda escolar para a Secretaria Municipal de Educação. Se ao final do processo ficar constatado e comprovado, seria ato de improbidade administrativa”, explica o promotor de justiça Franklin Vieira da Silva.

Serviços são precários
A situação da saúde púbica também é alvo de preocupação no município. O principal hospital do município enfrenta problemas como infiltrações e problemas na estrutura do prédio, além da falta de equipamentos, de medicamentos e de utensílios básicos como cobertores. “Eu trouxe de casa o meu (cobertor). Desde cedo que estou pedindo para trocar esse aqui e não trouxeram ainda, dizem que está lavando”, conta a dona de casa Adriana da Silva.

O presidente do Conselho Municipal de Saúde, Miguel Soares, alerta para a necessidade de manutenção na única ambulância pública disponível para atender pacientes do município. “Uma ambulância dessa aí, se for levar um paciente para Belém ou para outro lugar mais distantes, ela não tem condições de chegar no destino final”, diz Soares.

Outras cinco ambulâncias quebradas estão no pátio da Secretaria de Obras do município, aguardando por manutenção, além de outros veículos do município que também, como ônibus escolares, tratores e outras máquinas agrícolas.

Segundo o mecânico responsável pelos veículos, Francisco Silva, a prefeitura alega falta de dinheiro para repor as peças defeituosas que os reparos necessitam. “Sem as peças, como vai fazer a manutenção das máquinas?”, questiona Francisco.

 

Fonte : G1 Pará

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here