Moveleiros de Canaã começam a produzir com material do S11D

0
273

Peças de madeiras de descarte ou que serviram como embalagens de máquinas e equipamentos utilizados no complexo S11D estão sendo transformadas em diversos produtos por moveleiros de Canaã. Móveis, portas, cadeiras, camas e guarda-roupas já são os primeiros trabalhos após termo de cooperação firmado entre a Associação dos Moveleiros, Madeireiros, Serralheiros, Gesseiros e Fabricantes de Pré-Moldados (Asmoserra) e a Vale, com o apoio da secretaria municipal de Desenvolvimento Econômico e da Câmara de Vereadores de Canaã, representada pelo presidente Junior Garra.

O objetivo do grupo é apoiar a diversificação econômica no município e a geração de trabalho e renda. Por meio do contrato de cessão do material assinado no dia 24 de outubro, foram doados 40 mil quilos de madeira de descarte. “Esse material para o olhar de quem não conhece o trabalho e o talento do marceneiro e moveleiro, pode parecer lixo, resíduo, mas para nós é matéria-prima de qualidade pronta para ser transformada e o melhor gerar trabalho e renda, diz o presidente da Asmoserra, Gildenor Gomes de Oliveira.

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico Jurandir dos Santos, o subsídio vai beneficiar todas as esferas da sociedade. “Ficamos felizes em concretizar mais uma parceria entre o poder público, empresa Vale e sociedade civil, pois a cessão do material, aquece o mercado no município, gera trabalho, venda, compra e impostos que vão retornar à sociedade em melhoria dos serviços públicos. É a engrenagem da prosperidade”, afirmou.

Além da destinação da madeira de descarte, a Vale assinou em julho convênio com a Cooperativa da Indústria Moveleira e Serradores de Parauapebas (Coopmasp) para doação da toras da madeira de supressão legal como amarelão, cedro, jatobá e outras espécies com exceção da castanheira.  O convênio foi resultado da atuação conjunta da Prefeitura, Secretarias Municipais, Polo moveleiro, Câmara de Vereadores, Assembleia Legislativa do Pará, ICMBio e a Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade.

“Ambas iniciativas atendem a legislação ambiental, dão outra destinação sustentável à madeira em suas diferentes formas e ao mesmo tempo tem grande desdobramento econômico e social, com o estímulo ao fortalecimento do setor moveleiro de modo legal”, diz o gerente de Sustentabilidade da Vale, Leonardo Neves. Os resíduos madeireiros, conforme critérios da legislação, são também reutilizados, por exemplo, em processo de recuperação de solos.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here