A Vale soube ontem, 26/11, que foi retirada da carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE), da Bovespa. O Diretor Executivo de Finanças e Relações com Investidores, Luciano Siani Pires, lamentou a decisão: “De uma hora para outra, a Vale não deixou de ser a empresa que preserva 400 mil hectares de biodiversidade na Floresta Nacional de Carajás – a única remanescente no Sudeste do Pará. Também não deixou de gerir a Reserva Natural Vale, em Linhares (ES), capaz de gerar 3 milhões de mudas por ano para o replantio de matas e florestas nativas. Tampouco  deixou de empregar milhares de pessoas na agricultura familiar para o plantio de palma, no Pará, nem deixou de reaproveitar 76% da água utilizada em suas operações. Entretanto, entendemos que esse resultado seja uma reação dos membros do Conselho Deliberativo do ISE diante dos eventos que envolveram o acidente da Samarco. A decisão do ISE não altera o nosso compromisso com a sustentabilidade de nossas operações que, por cinco anos consecutivos (entre 2011 e 2015), nos manteve na carteira, um reconhecimento de que este tema faz parte dos nossos valores”.

Assessoria de comunicação da Vale