O detento Francisco Vasconcelos Leal, de 60 anos de idade, faleceu no interior da cela carcerária no bairro Rio Verde, em Parauapebas, onde se encontrava a disposição da justiça desde sua prisão, acusado de ser o mandante da morte de sua ex- mulher Rosenir Cristina da Silva Sousa, de 46 anos de idade, executada com cinco disparos de arma de fogo. O crime ocorreu no dia 21 de dezembro, quando a vítima chegava em sua residência, rua Luiz Gonzaga, 102, bairro da Paz.

Francisco Vasconcelos foi preso em Marabá, na noite seguinte ao crime, pela polícia militar daquela cidade. Transferido para Parauapebas, o mesmo foi ouvido em depoimento e confessou que teria pago cerca de 1.500 reais pela morte de Rosenir Cristina, e também entregou o genro Emerson José Oliveira Cruz, de 36 anos, como sendo co-autor do assassinato.

Segundo a polícia, Emerson José teria sido o contratante dos dois pistoleiros que executaram a vítima, o mesmo continua preso a disposição da justiça.

Rosenir foi morta amando do ex-marido Francisco Vasconcelos

Morte na carceragem

Adalberto Murilo diretor da SUSIPE em Parauapebas informou que quando o interno chegou naquela casa penal já apresentava um quadro clinico e a família apresentou laudos confirmando que Francisco Vasconcelos sofria de insuficiência respiratória e problemas renais. Além dos dois rins paralisados o mesmo já havia sofrido um AVC antes de sua prisão.

Adalberto Murilo ressaltou ainda que durante o tempo que o detento ficou preso, passou mal por três vezes, sendo socorrido e conduzido ao Hospital Municipal Teófilo Soares de Almeida Filho. O diretor ressaltou que ao ser Informado da gravidade do quadro de saúde do interno a direção da carceragem tomou as devidas providencias e aguardava um leito para transferir o detento para Marabá.

Ainda segundo Adalberto Murilo, a transferência já estava autorizada pelo juiz e pela SUSIPE, mas aguardava a confirmação de um leito onde houvesse todo apoio e amparo para que o detento fizesse tratamento.

“Internado para exames, no diagnostico do médico ficou constatado a gravidade do quadro de saúde do detento. Ele ficou internado por alguns dias, e hoje pela madrugada veio a óbito”, enfatizou, acrescentando que mediante a morte do detento, o caso foi comunicado a superintendência e a SUSIPE tomou todas as medidas cabíveis junto à família da vítima, auxiliando no funeral do mesmo.

Caetano Silva – Da redação

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here