O açougueiro Elivelton Ribeiro de Jesus, 25 anos de idade, conhecido popularmente por “Madruga”, morreu com um tiro na cabeça efetuado por um homem que teria chegado ao local com a arma em punho e efetuou três disparos, deixando de saldo uma morte e outros dois feridos.

O crime aconteceu por volta das 23h30min deste domingo (4), na rua F-24 com a F-25 no bairro Cidade Jardim em Parauapebas, quando as vítimas bebiam sentados na porta da casa onde Elivelton Ribeiro morava.

            Momento em que o corpo estava sendo removido.

De acordo com informações colhida no local do crime, minutos antes os três rapazes se encontravam do outro lado da rua quando de repente teria parado um veículo prata com dois homens perguntando se alguém ali havia sido assaltado.

Ao ouvir a resposta negativa o veículo deixou o local, minutos depois os três amigos Douglas, Igor e Elivelton sentaram na porta e continuaram a beber, instante em que foram surpreendidos pelo atirador que trajava jaqueta e capacete preto, que sem contar conversa apontou a arma para Douglas e efetuou um tiro contra o mesmo que conseguiu correr e escapar com vida.

                    Elivelton Ribeiro de Jesus em vida.

Em ato continuo ainda segundo informações o pistoleiro efetuou outros dois tiros contra Igor e Elivelton.

Douglas, primo de Elivelton vítima fatal, foi atingido de raspão no lado esquerdo da cabeça, já Igor foi baleado na altura do ombro esquerdo sendo socorrido pelo Corpo de Bombeiros e encaminhado para o Hospital Municipal de Parauapebas.

Após levantamentos de local de crime realizado pela equipe de investigadores de Polícia Civil, o corpo da vítima foi removido pela equipe de remoção do Instituto Médico Legal (IML).

Até o fechamento desta matéria a polícia ainda não tinha informações que levasse ao paradeiro do autor do crime, a polícia ficou de requerer imagens de câmeras de segurança instaladas nas residências próximo ao local do crime e também disponibiliza o número 181 do disque denúncia, caso a população queira auxiliar na elucidação de homicídios ocorridos em Parauapebas, sua identidade será mantida no mais absoluto síngilo. (Caetano Silva da redação do Portal Noticias de Parauapebas)

Comentários