Juiz nega habeas corpus a integrantes do MST

767

De acordo com o advogado Toni Araújo o juiz negou o habeas corpus pedido por ele em favor dos cinco integrantes do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) presos ontem, quarta-feira, 3, após denúncia de um cidadão que dava conta de que haviam feito refém sua irmã e que estava sendo ameaçada dentro do domicilio e sendo mantida em cárcere privado.

Depois da prisão vários integrantes do movimento acamparam na porta da 20ª Seccional de Polícia Civil na expectativa de que sob pressão os companheiros fossem liberados e  se mantiveram no local até a tarde de hoje, quinta-feira, 4, após a decisão negativa do juiz em desfavor dos detidos, foram transferidos sob forte esquema de segurança para a carceragem do bairro Rio Verde.

Em entrevista ao PORTAL NOTÍCIAS DE PARAUAPEBAS, o advogado Toni Araújo, diz que o juiz alegou que os seis artigos são muito graves e não cabem fianças. Trata-se dos crimes de ameaça, esbulho possessório, cárcere privado, associação criminosa, incitação ao crime e porte ilegal de armas. “Como o juiz decretou a prisão preventiva, foram levados para a carceragem do Rio Verde. Entrarei com o pedido de revogação da prisão preventiva para que eles aguardem o julgamento em liberdade, quando espero que provem a inocência ou peguem pena mínima”, afirma Toni Araújo.

Os acampados não quiseram gravar entrevista, mas negam a versão da polícia.

 

Francesco Costa: Da redação

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here