Aproximadamente nove mil pacientes já foram atendidos na UPA desde a inauguração

0
325

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Parauapebas completou dia 27 de março dois meses de operação e neste período aproximadamente nove mil pacientes foram atendidos na unidade de saúde, que é voltada para atendimentos de casos de urgência e emergência. O atendimento não ocorre por ordem de chegada e sim por meio da classificação de risco.

“A classificação por cores identifica o nível de risco de morte apresentado pelo paciente, a cor vermelha sinaliza que ele deve ser atendido imediatamente, o amarelo que pode aguardar um pouco mais, o verde e o azul são pacientes que podem aguardar, que não são classificados como casos urgentes. Esse modelo foi estabelecido no Protocolo de Manchester, padrão de classificação de risco utilizado em todo o mundo”, informou Manoel Ilson Carvalho, diretor da UPA.

Ainda de acordo com a direção da UPA, do total de pacientes atendidos até então, apenas 60 pacientes foram encaminhados para o Hospital Municipal, o que representa resolutividade dos casos que chegam até à unidade. “Não tivemos nenhum óbito desde a inauguração e já conseguimos reverter vários casos, inclusive de parada cardiorrespiratória”, acrescentou Manoel Carvalho.

Funcionando 24 horas por dia, a UPA conta com uma equipe permanente de três médicos plantonistas durante o dia e dois no período noturno, além dos enfermeiros, técnicos de enfermagem e outros profissionais que se revezam nos plantões. Para acelerar os atendimentos foi disponibilizada mais uma equipe de classificação de risco durante o dia, período de maior fluxo.

“Aqui o atendimento é rápido e de qualidade, eu estava passando mal e fui logo atendida quando cheguei, depois da consulta com a médica, já tomei remédio e fiz exames. Parabéns para quem fez essa UPA, porque a gente vê muita gente no país sofrendo em filas de hospitais e aqui é tudo diferente, bem melhor”, disse a aposentada Cacilda de Bastos, de 64 anos.

Portas de entrada da UPA

Os pacientes podem acessar os serviços disponibilizados na UPA por duas portas de entrada: a ambulatorial ou a porta de acesso para sala vermelha. Na primeira, os pacientes chegam e são atendidos na recepção da unidade, em seguida, passam pela sala de triagem, onde são classificados conforme o risco apresentado.

A porta de entrada que dá acesso à sala vermelha é utilizada geralmente por pacientes levados pelo SAMU ou Corpo de Bombeiros, responsáveis por atender ocorrências como acidentes de trânsito, eles conduzem as vítimas até a UPA, onde é realizada a estabilização e os cuidados necessários para salvar as vidas em risco de morte. Também podem acessar a entrada da sala vermelha pacientes em estado grave que chegam por outros meios (carro particular, táxi, viatura da Polícia, entre outros).

Texto: Karine Gomes

Fotos: Anderson Souza/Irisvelton Silva

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.