Detentos do regime semiaberto de Marabá, atuam em obras de revitalização de praças e prédios públicos do município como parte do projeto “Conquistando a Liberdade”, que oferece oportunidade de ressocialização para os detentos.

Vinte e sete detentos participam da décima etapa do projeto, realizando serviços de pintura, capinagem, limpeza e reformas nos prédios, sempre acompanhados por agentes penitenciários. Além da ressocialização, os participantes conquistam a redução da pena de acordo com os dias trabalhados.

Qualquer diretor de órgão público pode solicitar os serviços. “O público alvo é a sociedade. As escolas podem fazer a solicitação, hospitais, igrejas, praças. A partir do momento em que eles prestam um serviço para a sociedade eles têm uma remisão de pena”, explica Márcia Scalzer, gerente administrativa do Centro de Recuperação Agrícola Mariano Antunes (CRAMA).

Lourival Santos é um dos participantes do projeto e atua com limpeza, manutenção de pintura e serviços gerais nas obras. “Eu consegui concluir meu ensino fundamental, ensino médio também. É o propósito de se restaurar na sociedade. Às vezes você erra, eu erro, todos nós temos o direito de errar. Agora, não é permitido continuar no mesmo erro”, diz Lourival, que cumpre pena há 7 anos e está a um mês da liberdade.

Denise Pereira cumpre pena há um ano e meio e participa há dois meses do projeto. “Assim que me chamaram eu aceitei, porque esse projeto é muito bom para a gente que está lá dentro. A gente está se envolvendo muito, achei muito bacana”, afirma Denise.